top of page

Gabapentina ou pregabalina para o tratamento de dor neuropática em cães?

A escolha entre gabapentina e pregabalina para o tratamento de dores articulares em cães é uma consideração importante na medicina veterinária, especialmente devido às diferentes características farmacológicas e perfis de eficácia e segurança dessas duas drogas.



Ambas são usadas no manejo da dor neuropática e têm mecanismos de ação semelhantes, mas possuem algumas diferenças significativas que podem influenciar a decisão do veterinário sobre qual medicamento é mais adequado para um paciente específico.


Gabapentina é um medicamento anticonvulsivante que também é amplamente utilizado para tratar a dor neuropática em humanos e animais. Sua ação se dá através da modulação dos canais de cálcio dependentes de voltagem, especificamente as subunidades alfa-2-delta, o que resulta em uma diminuição da liberação de neurotransmissores excitatórios no sistema nervoso central, o que ajuda a reduzir a percepção da dor. Nos cães, a gabapentina é frequentemente usada para aliviar a dor associada a condições como osteoartrite, hérnias de disco e outras formas de dor neuropática crônica.


A gabapentina é geralmente bem tolerada pelos cães, com poucos efeitos colaterais graves relatados. Os efeitos adversos mais comuns incluem sedação, ataxia (dificuldade de coordenação motora) e, ocasionalmente, problemas gastrointestinais. A sedação pode ser benéfica em alguns casos, especialmente se o cão estiver em dor significativa e precisar de descanso. No entanto, em doses mais altas, a sedação pode se tornar um problema, afetando a qualidade de vida do animal. A dose de gabapentina deve ser cuidadosamente ajustada e monitorada para equilibrar a eficácia no controle da dor com a minimização dos efeitos colaterais.


Pregabalina, assim como gabapentina, é um anticonvulsivante e analgésico que atua nos canais de cálcio dependentes de voltagem. Ela também se liga à subunidade alfa-2-delta, mas com uma afinidade mais alta em comparação com a gabapentina, o que pode resultar em uma maior eficácia analgésica. Pregabalina é relativamente nova no campo da medicina veterinária em comparação com a gabapentina, mas tem mostrado promissoras propriedades analgésicas para o tratamento da dor neuropática e outras formas de dor crônica em cães.


A pregabalina tende a ter uma farmacocinética mais previsível e linear, o que pode simplificar o processo de dosagem. Sua biodisponibilidade é superior e menos variável em comparação com a gabapentina, e ela atinge concentrações terapêuticas no plasma de maneira mais consistente. Isso significa que a pregabalina pode proporcionar um alívio da dor mais estável e confiável para alguns cães. Além disso, alguns estudos sugerem que a pregabalina pode ser eficaz em doses mais baixas do que a gabapentina, o que pode reduzir o risco de efeitos colaterais.


No entanto, como qualquer medicamento, a pregabalina também apresenta possíveis efeitos adversos. Os efeitos colaterais da pregabalina em cães são semelhantes aos da gabapentina e podem incluir sedação, ataxia e problemas gastrointestinais. Devido à sua eficácia potencialmente maior, a pregabalina pode ser uma opção preferível em casos onde a gabapentina não proporciona alívio adequado da dor ou onde os efeitos colaterais da gabapentina são inaceitáveis.


A decisão sobre qual medicamento usar – gabapentina ou pregabalina – deve ser baseada em uma avaliação cuidadosa das necessidades individuais do cão, da gravidade da dor, da resposta a tratamentos anteriores e dos possíveis efeitos colaterais. Em alguns casos, os veterinários podem começar com gabapentina devido à sua longa história de uso seguro e eficaz em cães. Se a gabapentina não proporcionar alívio suficiente da dor ou causar efeitos colaterais intoleráveis, a pregabalina pode ser considerada como uma alternativa.


A eficácia e segurança de ambos os medicamentos podem ser potencializadas por uma abordagem multimodal ao manejo da dor, combinando farmacoterapia com outras intervenções, como fisioterapia, controle de peso e, em alguns casos, cirurgia. A colaboração entre o veterinário e o tutor do animal é crucial para monitorar a resposta ao tratamento e ajustar as doses conforme necessário para garantir o melhor resultado possível.


Além disso, é importante lembrar que a dor articular em cães, especialmente aquela causada por condições crônicas como a osteoartrite, pode ser complexa e multifacetada. Abordagens integrativas que incluem mudanças na dieta, suplementos articulares como glucosamina e condroitina, e a modificação do ambiente do cão para facilitar a mobilidade podem desempenhar um papel importante no manejo geral da condição.


Em resumo, tanto a gabapentina quanto a pregabalina têm seus méritos no tratamento da dor articular em cães.


A escolha entre elas deve ser guiada por uma análise detalhada das necessidades específicas do paciente, das características farmacológicas dos medicamentos e da experiência clínica do veterinário.


Embora a gabapentina seja uma opção estabelecida e bem tolerada, a pregabalina oferece uma alternativa potencialmente mais eficaz com uma farmacocinética mais favorável.


Com a supervisão adequada e ajustes de dosagem baseados em resposta individual, ambos os medicamentos podem contribuir significativamente para o alívio da dor e a melhoria da qualidade de vida dos cães com condições articulares dolorosas.


Referências bibliográficas


  1. Mansueto, C. S., & Leisewitz, A. L. (2017). "A randomized, double‐blinded, placebo‐controlled study of the efficacy of pregabalin for the treatment of neuropathic pain in dogs." Journal of Veterinary Internal Medicine, 31(6), 1849-1856. Este estudo avalia a eficácia da pregabalina no tratamento da dor neuropática em cães, fornecendo informações relevantes sobre a aplicabilidade clínica do medicamento para condições dolorosas em cães.

  2. Felix, L. C., Corrente, J. E., Ricão-Petersen, Y. J., Crespilho, A. M., & Matera, J. M. (2020). "Gabapentin as an adjunctive therapy for osteoarthritis pain in dogs." Journal of Veterinary Pharmacology and Therapeutics, 43(6), 590-598. Este estudo avalia a eficácia da gabapentina como terapia adjunta para a dor da osteoartrite em cães, oferecendo insights sobre a eficácia e segurança do medicamento.


Sobre o autor



Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.


43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Commenting has been turned off.

Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page