Buscar

Como prevenir lesões no ligamento cruzado cranial em cães

Atualizado: 1 de dez. de 2021

Prevenir lesões nos ligamentos cruzados craniais é possível. A prevenção deve ser feita mesmo em casos de cães que já tiveram a ruptura em um dos membros.


Confira nosso artigo completo sobre ruptura do ligamento cruzado cranial em cães.

Definição Os ligamentos cruzados craniais são encontrados na articulações dos joelhos dos cães e conectam a parte superior da tíbia (o osso maior abaixo do joelho) à parte inferior do fêmur (ou osso da coxa). Esses ligamentos são feitos de tecido conjuntivo e são responsáveis por estabilizar a articulação do joelho.


Portanto, lesões nos ligamentos cruzados craniais podem causar problemas significativos de sustentação de peso, levando a um processo de artrite, e posterior artrose (desgaste) do joelho. Etiologia (causa) Os acidentes que ocorrem durante os exercícios são os que mais causam a ruptura do ligamento cruzado em cães, mas algumas patologias subjacente geralmente estão presentes, como a luxação de patela e a displasia coxofemoral. A ruptura ocorre quando é levada à sua amplitude extrema de movimento, em alguns casos, esse ligamento também pode romper parcialmente, ou apenas ficar mais frouxo, caracterizando uma insuficiência do ligamento cruzado cranial.

Predisposição Entre os fatores que predispõem a ruptura do ligamento estão: conformação óssea, excesso de peso, seguido por movimentos e impactos repentinos. Os cães podem sofrer esses tipos de lesões após pular, derrapar, virar ou se contorcer de forma rápida e desajeitada. Prevenção


1) Mantenha uma dieta balanceada Fornecer ração ou comida caseira balanceada por um veterinário especializado em nutrologia é importante para garantir uma quantidade adequada de proteínas para o crescimento e reparação dos tecidos. O uso de ômega-3 auxilia no cuidado das articulações.

2) Realize exercícios físicos regulares


O desenvolvimento da musculatura é essencial para evitar lesões, uma vez que os músculos fortes e flexíveis auxiliam no apoio e sustentação da articulação. O auxílio por parte de um profissional especializado em fisiatria veterinária pode ser essencial nesse processo.

3) Evite o excesso de peso Cães mais pesados ​​têm maior probabilidade de sofrer lesão do ligamento cruzado, em parte devido ao aumento da pressão sobre as articulações durante o movimento.

Essa é outra razão para manter um cão devidamente exercitado, pois irá ajudá-lo a queimar o excesso de calorias e manter o peso baixo.


4) Não exagere nos exercícios

Caso você exercite pouco seu cão durante a semana, mas saia para caminhadas ou corridas extenuantes nos finais de semana, ele poderá romper o ligamento com maior facilidade.

A quantidade de exercício que seu cão faz deve ser constante e de intensidade moderada. Caso contrário, seu corpo não estará preparado para o estresse extra e isso pode resultar em danos ao músculos, articulações e ligamentos.

Referências bibliográficas


FOSSUM, T.W. Cirurgia de pequenos animais, 4a ed. Elsevier, 2014


Sobre o autor


Felipe Garofallo é médico veterinário (CRMV/SP 39.972) e atua na área de ortopedia e cirurgia de cães e gatos em São Paulo e cidades da região. Realiza consultas em domicílio para tutores e serviço terceirizado para clínicas e hospitais veterinários. Você pode agendar uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321.

68 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo