Buscar

Colocefalectomia em gatos

Atualizado: 12 de ago.

Ostectomia da cabeça e colo femoral, excisão artroplástica da cabeça e colo femoral, excisão da cabeça e colo femoral.

Definição


A colocefalectomia é um procedimento cirúrgico que visa restaurar a mobilidade do gato, reduzindo a dor de uma articulação coxofemoral danificada, através da remoção da cabeça e o colo (pescoço) do fêmur.


Anatomia

O quadril normal é uma articulação esférica. O acetábulo, que é uma parte da pelve, compõe a cavidade da articulação.


A cabeça do fêmur, projeção do osso longo localizado entre o quadril e o joelho, compõe a esfera que cabe dentro do encaixe. A cabeça do fêmur se ajusta ao acetábulo, permitindo que o quadril se mova livremente em todas as direções.

No entanto, se o acetábulo e a cabeça do fêmur não se encaixarem adequadamente, esse ajuste inadequado pode influenciar o grau de movimento que a articulação pode atingir. Além disso, o ajuste deficiente da articulação pode causar dor crônica e inflamação (artrite). Uma colocefalectomia restaura a mobilidade do quadril removendo a cabeça e o pescoço do fêmur, pois evita o atrito constante de uma articulação deslocada ou irregular.


Após a cirurgia, os músculos do membro pélvico seguram o fêmur no lugar e, com o tempo, o tecido cicatricial se forma entre o acetábulo e o fêmur para fornecer um amortecimento que é conhecido como uma "falsa articulação". Embora essa articulação seja anatomicamente muito diferente de uma articulação do quadril normal, ela fornece mobilidade sem dor na maioria dos pacientes. Indicação cirúrgica

Este procedimento é comumente recomendado em gatos, especialmente aqueles que estão com um peso adequado. Gatos ativos geralmente apresentam melhores resultados com colocefalectomia do que os felinos menos ativos. A massa muscular que foi construída através da atividade ajuda a estabilizar a articulação, permitindo que o paciente recupere a mobilidade sem dor mais rapidamente do que os que realizam pouca atividade física.


Por outro lado, os animais inativos tem menos massa muscular ao redor da articulação, tornando a articulação menos estável no pós-operatório e levando a um maior tempo de recuperação.

O objetivo principal da cirurgia de colocefalectomia é remover o contato osso com osso, restaurando a mobilidade sem dor. Os motivos mais comuns para indicar essa cirurgia incluem:

Fraturas envolvendo o quadril: Quando uma fratura envolve a articulação do quadril e não pode ser reparada cirurgicamente (devido a considerações do paciente ou financeiras para o tutor), uma colocefalectomia pode fornecer a melhor opção para uma mobilidade sem dor.


Luxação/subluxação do quadril (por trauma ou displasia grave do quadril): Em alguns casos, uma cabeça do fêmur deslocada pode não ser realocada de forma fechada ou aberta (por correção cirúrgica). O reparo cirúrgico da luxação do quadril nem sempre bem-sucedido.


Artrose severa do quadril: Na artrose, a cartilagem que protege tanto a cabeça do fêmur quanto o acetábulo pode sofrer erosão, causando dor nos ossos sempre que o quadril for movimentado. A realização de um excisão de cabeça e colo femoral pode remover esse ponto de contato e aliviar a dor.

Pós-operatório Os cuidados com os gatos que realizaram a colocefalectomia variam de acordo com as necessidades do paciente específico, mas em geral, a recuperação pode ser dividida em duas fases.

Nos primeiros dias de pós-operatório, o gato estará se recuperando do procedimento cirúrgico. Como ossos e músculos são incisados durante o procedimento, o foco nesse período será o controle da dor, sendo necessário a administração da medicação. Durante os primeiros dias de pós-operatório, é recomendada a restrição das atividades, sendo importante restringir o espaço e evitar o acesso a locais altos.


A fase seguinte consiste em introduzir atividades físicas leves, o que trará benefícios após uma semana de cirurgia. Durante esse período de recuperação, o foco muda para a reconstrução da massa muscular e da força do paciente. A maioria dos gatos mostra sinais de recuperação completa aproximadamente seis semanas após a cirurgia. Nesse período, provavelmente ele poderá retomar suas atividades normais.


O retorno à atividade pode ser mais rápido nos felinos com função normal até pouco antes da colocefalectomia, e pode ser mais lenta naqueles com problemas crônicos, devido à atrofia muscular.

Caso não ocorra melhora significativa em seis semanas após a cirurgia, a reabilitação por um programa de fisioterapia é imprescindível.


Além disso, quando iniciada logo após a retirada dos pontos, a fisioterapia auxilia também em uma recuperação mais rápida.

Prognóstico

A maioria dos gatos se recupera totalmente após a cirurgia e recupera a função normal do membro afetado.


Entretanto, gatos com colocefalectomia podem ter o membro com uma amplitude de movimento levemente diminuída, assim como o comprimento do membro discretamente reduzido após a cirurgia.


Esses impactos são mínimos e tendem a não afetar a qualidade de vida dos felinos.


Referências bibliográficas


Yap, Fui & Dunn, Andrew & Garcia-Fernandez, Paloma & Brown, Gordon & Allan, Ross & Calvo, Ignacio. (2014). Femoral head and neck excision in cats: medium- to long-term functional outcome in 18 cats. Journal of feline medicine and surgery. 17. 10.1177/1098612X14556848.


Liska, William & Doyle, N & Marcellin-Little, Denis & Osborne, J. (2009). Total hip replacement in three cats: Surgical technique, short-term outcome and comparison to femoral head ostectomy. Veterinary and comparative orthopaedics and traumatology : V.C.O.T. 22. 505-10. 10.3415/VCOT-08-09-0087.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321 ou (11)91258-5102.


1.773 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo