top of page

Tosse em cães depois da cirurgia

Atualizado: 12 de abr.

A tosse em cães e gatos após a cirurgia pode ser motivo de preocupação para os tutores, especialmente quando ocorre logo após o procedimento.


Existem várias razões pelas quais um animal pode apresentar tosse no período pós-operatório, e é importante entender essas causas para garantir uma recuperação tranquila e sem complicações.

Uma das causas mais comuns de tosse após a cirurgia em cães e gatos é a irritação da garganta e das vias respiratórias devido ao tubo endotraqueal utilizado durante a anestesia. Durante o procedimento cirúrgico, um tubo é inserido na traqueia do animal para facilitar a respiração e a administração de gases anestésicos. Essa intubação pode causar irritação na garganta e nas vias respiratórias, resultando em tosse após o procedimento.

Além disso, a posição deitada durante a cirurgia e a ventilação artificial podem contribuir para o acúmulo de muco e secreções nas vias respiratórias, o que pode causar tosse após o animal acordar da anestesia. Essa tosse geralmente é transitória e tende a diminuir à medida que o animal se recupera e as vias respiratórias se desobstruem.

Além disso, complicações como pneumonia pós-operatória também podem causar tosse em cães e gatos. A pneumonia pode ocorrer como resultado da inalação de bactérias durante o procedimento cirúrgico ou devido à redução temporária da função pulmonar após a anestesia.

Antes de continuarmos, convido você a conhecer meu curso on-line "A Jornada da Recuperação: Dicas para Tutores de Cães e Gatos do Pré ao Pós-operatório", um guia completo para ajudar você a passar com tranquilidade pelo pré e pós-operatório da cirurgia do seu pet. Clique na imagem abaixo para adquirir o produto.



Voltando ao nosso tópico, a tosse é um dos sintomas comuns de pneumonia e geralmente está associada a outros sinais de infecção respiratória, como febre, letargia e dificuldade respiratória.

É importante observar que a tosse pós-operatória em cães e gatos nem sempre é motivo de preocupação, especialmente se for leve e transitória. No entanto, se a tosse persistir ou se tornar grave, é importante consultar imediatamente um veterinário para avaliação e tratamento adequados. O veterinário pode realizar exames físicos, como auscultação pulmonar e análise de exames de sangue e radiografias torácicas, para determinar a causa subjacente da tosse e recomendar o tratamento apropriado.

O tratamento para tosse pós-operatória em cães e gatos depende da causa subjacente. Se a tosse for devido à irritação das vias respiratórias devido à intubação, pode ser tratada com medicamentos anti-inflamatórios ou analgésicos para reduzir a inflamação e o desconforto. Se houver suspeita de pneumonia, pode ser necessário administrar antibióticos para tratar a infecção bacteriana subjacente.

Além do tratamento médico, medidas de suporte podem ser úteis para ajudar o animal a se recuperar da tosse pós-operatória. Isso pode incluir manter o animal confortável e bem hidratado, fornecer uma dieta leve e fácil de digerir e evitar esforço físico excessivo até que a tosse melhore completamente.


Em resumo, a tosse pós-operatória em cães e gatos pode ter várias causas potenciais, incluindo irritação das vias respiratórias devido à intubação, edema pulmonar, pneumonia e outras complicações. É importante monitorar de perto o animal após a cirurgia e relatar qualquer preocupação ou sintoma ao veterinário imediatamente. Com diagnóstico precoce e tratamento adequado, a maioria dos animais se recupera completamente da tosse pós-operatória e retoma sua saúde normal.


Sobre o autor  

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.


88 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page