Ruptura do Ligamento Cruzado Cranial em Gatos

OUTROS NOMES: INSUFICIÊNCIA DO LIGAMENTO CRUZADO CRANIAL, RUPTURA DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR


O que é o ligamento cruzado cranial?


A palavra cruzado vem de "formar uma cruz". Os ligamentos cruzados são duas faixas de tecido fibroso localizadas em cada articulação do joelho. Eles conectam o fêmur e a tíbia (os ossos acima e abaixo da articulação do joelho). Um ligamento vai de dentro para fora da articulação do joelho e o outro de fora para dentro, cruzando-se no meio.


Os dois ligamentos cruzados são chamados ligamento cruzado cranial e ligamento cruzado caudal. O ligamento cruzado cranial (LCC) é semelhante ao ligamento cruzado anterior (LCA) em humanos. O ligamento cranial é ancorado na parte frontal do osso da perna (a tíbia) e sobe e sobe para a parte de trás do osso da perna (o fêmur).


O ligamento cruzado caudal é ancorado na parte posterior da tíbia e se conecta à parte frontal do fêmur. Os LCC são os principais ligamentos de suporte no joelho de um gato.


Sua função principal é evitar que a perna se mova para a frente do fêmur durante o movimento. Quando o ligamento está rompido ou instável, a parte inferior da perna desliza para a frente, também conhecido como um teste positivo da gaveta. Lesões do ligamento cruzado são comuns em cães e consideradas relativamente incomuns em gatos.


Como ocorre a lesão do ligamento cruzado cranial nos felinos?


A articulação do joelho do gato é uma das mais fracas do corpo. É relativamente instável porque não há ossos entrelaçados na articulação do joelho. Em vez disso, ele é mantido unido por vários ligamentos, incluindo os ligamentos cruzados, que permitem que ele se mova para frente e para trás como uma dobradiça, mas restringe seu movimento da frente para trás e de um lado para o outro.


Quando ocorre torção severa da articulação do joelho; o ligamento cruzado cranial é o que mais comumente se rompe. Quando o ligamento cruzado cranial é rompido, ocorre instabilidade que permite que os ossos se movam de forma anormal em relação uns aos outros. É difícil para o gato suportar o peso na perna. Essa condição é dolorosa e, se não tratada, pode levar a complicações permanentes nas articulações, como a doença articular degenerativa.


Como é feito o diagnóstico da ruptura do ligamento cruzado cranial em felinos?


Na lesão aguda, geralmente há uma história de trauma, como um acidente automobilístico ou uma queda de local alto. Em alguns gatos, a lesão cruzada é secundária a outro problema no joelho, como luxação da patela ou rótula (que desliza para fora do lugar). O meio mais confiável de diagnosticar a ruptura de uma lesão cruzada pode ser demonstrado com o gato acordado. Se a parte inferior da perna puder ser puxada para a frente, um 'teste de gaveta positivo' é confirmado o diagnóstico de ruptura do LCC. Se o gato estiver com dor intensa, tiver músculos nas pernas muito fortes ou não cooperar, pode ser necessário usar sedação para examinar e palpar a articulação corretamente.


Quais outros danos a ruptura do ligamento cruzado cranial pode causar?


A lesão que causa a lesão no ligamento cruzado cranial também resulta na lesão de um ou de ambos os meniscos ou cartilagens localizados entre os ossos da articulação do joelho. Esses meniscos podem ser vistos como 'amortecedores' para a articulação.


No momento da cirurgia, eles são examinados e reparados conforme a necessidade. Os ligamentos colaterais (as duas bandas fibrosas que correm ao longo dos lados do joelho) ou o ligamento patelar (que corre ao longo da parte frontal da articulação do joelho com a patela ou "rótula") também podem ser lesados.


Como a ruptura do ligamento cruzado cranial é tratada?


A correção de um LCC rompido geralmente requer cirurgia. Para os felinos, técnicas extracapsulares como a sutura fabelo-tibial tem apresentado bons resultados.


No pós-operatório, é necessário limitar os exercícios do gato por várias semanas.


Existe um tratamento não cirúrgico para a ruptura do ligamento cruzado cranial?

Em certos casos, a cirurgia pode não ser recomendada por vários motivos. Se a cirurgia não for uma opção, a atividade do gato deve ser severamente reduzida, sem permissão para pular ou correr por até seis semanas. Infelizmente, o dano no ligamento cruzado cranial, quando não tratado, resultará em um rápido início de artrite na articulação afetada, que irá progredir para artrose (processo degenerativo da articulação).


Entretanto, mesmo se a cirurgia for realizada, o gato ainda irá desenvolver artrite na articulação, mas isso ocorrerá muito mais lentamente e em menor grau do que se a cirurgia não fosse realizada.


Qual é o papel da obesidade nessa doença?


A obesidade ou o sobrepeso pode ser um fator contribuinte na ruptura do ligamento cruzado. O ligamento pode ficar enfraquecido devido ao esforço de carregar muito peso, ou outros fatores associados à obesidade podem causar alterações ligamentares, fazendo com que se rompam com mais facilidade.


A obesidade tornará o tempo de recuperação mais longo e tornará o outro joelho mais suscetível a futuras lesões ligamentares ou ruptura. A perda de peso é tão importante quanto a cirurgia para garantir o rápido retorno à função normal, além de ser uma medida preventiva para ajudar a proteger contra essa lesão.


Referências


Stadig, Sarah & Lascelles, B Duncan X & Bergh, Anna. (2016). Do cats with a cranial cruciate ligament injury and osteoarthritis demonstrate a different gait pattern and behaviour compared to sound cats?. Acta Veterinaria Scandinavica. 58. 70. 10.1186/s13028-016-0248-x.


Garcia, Érika & Schossler, João & Pinheiro, Maicon. (2012). Cranial cruciate ligament rupture in a cat. Reconstitution with fascia lata. Ciência Rural. 42. 1446-1449. 10.1590/S0103-84782012000800019.