top of page

Uso da ressonância magnética para diagnóstico de cães com hérnia de disco

Atualizado: 23 de jan.

Modalidade de imagem padrão ouro, a ressonância magnética é indicada para quase todos os processos de doenças neurológicas em cães, sendo excelente meio diagnóstico para pacientes com suspeita de hérnias de disco.

Por ser baseada nas propriedades dos átomos de hidrogênio, a ressonância magnética obtém informações de numerosos tecidos com alto teor de água.


Ao serem colocados em um campo magnético, os átomos de hidrogênio se alinham. Um pulso de radiofrequência tira os átomos do alinhamento.


Quando o pulso é removido, os átomos voltam à sua orientação anterior e liberam energia na forma de outro pulso de radiofrequência. Este segundo pulso de radiofrequência é capturado para formar a imagem resultante.


O exame oferece contraste superior dos tecidos moles, o que permite uma maior diferenciação das estruturas anatômicas.


Assim como a tomografia computadorizada, as imagens podem ser visualizadas em muitos planos diferentes (sagital, transversal, dorsal), o que permite um exame minucioso e mensurações das regiões anatômicas.


Em pacientes com vários locais afetados com hérnias de disco, a ressonância magnética é a melhor opção para diferenciar a causa inicial dos sinais clínicos existentes. O exame também é importante para médico-veterinário realizar o planejamento cirúrgico.


O achado típico da ressonância magnética para protrusão ou extrusão de disco é a compressão extradural da medula espinhal focal centrada sobre o espaço do disco.


A ressonância magnética tem poucas contra-indicações além dos riscos anestésicos (o paciente precisa de anestesia geral para ser submetido à ressonância magnética).


Os implantes metálicos ou corpos estranhos, como arma de fogo, podem causar artefatos nas imagens ou podem se mover durante o procedimento e prejudicar o paciente.


Referências bibliográficas


Platt, Simon & Mcconnell, James & Garosi, Laurent & Ladlow, Jane & de Stefani, Alberta & Shelton, G Diane. (2006). Magnetic resonance imaging in the diagnosis of canine inflammatory myopathies in three dogs. Veterinary radiology & ultrasound : the official journal of the American College of Veterinary Radiology and the International Veterinary Radiology Association. 47. 532-7. 10.1111/j.1740-8261.2006.00181.x.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

450 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page