top of page
Buscar

Osteossarcoma em felinos

Atualizado: 23 de jan.

O osteossarcoma é um tumor maligno mesenquimatoso produtor de matriz óssea. Em gatos, o tumor é mais raro e menos agressivo quando comparado aos cães.


Os ossos longos como fêmur e tíbia são os mais afetados por esse tipo de tumor, embora mandíbula, pelve, costela e vértebras também sejam acometidos.


Há ainda, a forma de osteossarcoma extraesquelético, que pode acometer tecidos não ósseos, como baço, fígado, entre outros.

Etiologia (causa) Uma única causa dos tumores ósseos não é facilmente elucidada, sendo uma combinação complexa de fatores envolvida, como causas genéticas, hereditárias ou por infecções virais. Sinais clínicos (sintomas)

Entre os principais sintomas do osteossarcoma em felinos estão a claudicação (mancar), inchaço rígido na região acometida, e dor intensa. Sinais clínicos como perda de apetite e apatia também pode estar presentes.


Diagnóstico


A suspeita inicial de osteossarcoma em gatos ocorre quando o tutor percebe a dificuldade do paciente em andar, com um inchaço rígido em determinada região do corpo do animal.

As radiografias permitem a avaliação de regiões com lise óssea e proliferação óssea intensa e

irregular, onde fraturas também podem estar presentes devido ao enfraquecimento ósseo causado pelo tumor.

O diagnóstico definitivo pode ser obtido através de punção aspirativa por agulha filha. Embora em alguns casos, o exame seja inconclusivo, e uma biópsia óssea com posterior exame histopatológico seja necessário.


Apesar de o osteossarcoma em gatos ser menos agressivo e a metástase (disseminação do tumor para outras áreas do corpo) menos provável, o estadiamento da doença é recomendado através da solicitação de exames como hemograma, urinálise, radiografia dos pulmões e ultrassonografia abdominal. Tratamento


O tratamento para a maioria dos casos de osteossarcoma em gatos é a amputação alta da região acometida, além de adequado controle de dor desses pacientes. O prognóstico do osteossarcoma axial em felinos é pior comparado ao que ocorre no esqueleto apendicular, devido a impossibilidade de remoção do tumor por cirurgia em alguns casos.


Referências bibliográficas


Heldmann, E & Anderson, MA & Wagner-Mann, Colette. (2000). Feline Osteosarcoma: 145 Cases (1990-1995). Journal of the American Animal Hospital Association. 36. 518-21. 10.5326/15473317-36-6-518.


Spugnini, Enrico & Ruslander, David & Bartolazzi, Armando. (2001). Extraskeletal osteosarcoma in a cat. Journal of the American Veterinary Medical Association. 219. 60-2, 49. 10.2460/javma.2001.219.60.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

1.347 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page