top of page

Osteófitos em gatos

Osteófitos na radiografia em gatos são um achado significativo que geralmente indica a presença de doenças articulares degenerativas.


Esses crescimentos ósseos, também conhecidos como esporões ósseos, são projeções ósseas que se desenvolvem ao longo das margens das articulações ou onde os tendões e ligamentos se inserem no osso.


A presença de osteófitos é uma resposta adaptativa do organismo a alterações biomecânicas e inflamatórias, frequentemente associadas a condições como a osteoartrite.


A osteoartrite, uma das causas mais frequentes de osteófitos em gatos, é uma doença articular crônica e progressiva que resulta na degradação da cartilagem articular, inflamação da membrana sinovial e remodelação óssea.


Esse processo degenerativo provoca dor, rigidez e perda de função articular. Os osteófitos, nesse contexto, se desenvolvem como uma tentativa de estabilizar a articulação comprometida, aumentando a superfície de contato e, assim, distribuindo melhor as forças mecânicas que agem sobre a articulação.


Radiograficamente, os osteófitos aparecem como projeções ósseas ao longo das margens articulares. Esses achados são mais evidentes em articulações que suportam peso, como o joelho, o quadril e a coluna vertebral, mas podem ocorrer em qualquer articulação. A identificação de osteófitos na radiografia é um indicador importante de doença articular e pode ser usada para avaliar a gravidade da osteoartrite.


Além disso, a presença de osteófitos pode auxiliar na distinção entre osteoartrite e outras condições articulares, como artrite infecciosa ou doenças autoimunes, que apresentam padrões radiográficos diferentes.


O diagnóstico de osteófitos e a avaliação da extensão da osteoartrite são fundamentais para o manejo clínico dos gatos afetados.


O tratamento da osteoartrite felina é multifacetado e pode incluir mudanças na dieta, controle de peso, exercícios moderados, fisioterapia, medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, além de suplementação com condroprotetores. Em casos graves, intervenções cirúrgicas, como artroplastias ou artrodeses, podem ser necessárias.


Além do manejo clínico, a prevenção e a monitoração são aspectos cruciais na abordagem de doenças articulares em gatos.


A manutenção de um peso corporal adequado é uma das medidas preventivas mais eficazes para minimizar o risco de desenvolvimento de osteoartrite e, consequentemente, de osteófitos. Programas de exercícios regulares que promovam a mobilidade articular sem sobrecarregar as articulações também são recomendados.


Em conclusão, osteófitos na radiografia em gatos são um sinal claro de alterações articulares, geralmente associadas a doenças degenerativas como a osteoartrite.


A detecção precoce e a intervenção adequada são essenciais para melhorar a qualidade de vida dos gatos afetados. A radiografia continua sendo uma ferramenta indispensável no diagnóstico e no monitoramento das doenças articulares, oferecendo informações valiosas que orientam o tratamento e a prevenção de complicações adicionais.


Referências bibliográficas


1. Johnston, S. A. (1997). Osteoarthritis. Joint anatomy, physiology, and pathobiology. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice, 27(4), 699-723.

2. Goldring, M. B., & Goldring, S. R. (2007). Osteoarthritis. Journal of Cellular Physiology, 213(3), 626-634.

Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta presencial pelo whatsapp (11)91258-5102 ou uma consultoria on-line por vídeo.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page