top of page

Por que gatos que saem de casa tem mais problemas ortopédicos?

Atualizado: 23 de jan.

Gatos que saem de casa correm maior risco de sofrerem lesões ortopédicas, como fraturas e luxações.


Isso ocorre porque os gatos que vivem ao ar livre tendem a ser mais ativos e a se envolver em atividades arriscadas, como pular de alturas elevadas ou escalar árvores.


Os felinos que saem de casa estão em risco de serem atropelados por carros. Isso ocorre porque, ao saírem de casa, os gatos muitas vezes vagam pelas ruas em busca de comida ou de um lugar para se esconder. Como eles têm tendência a atravessar ruas sem olhar, muitas vezes acabam sendo atropelados.


Infelizmente, os acidentes de trânsito são uma das principais causas de morte em gatos que saem de casa. Além disso, mesmo que o gato não seja atropelado, ele ainda pode sofrer lesões graves, como fraturas, traumatismos cranianos, hemorragias e ferimentos que podem ser fatais ou exigir tratamento intensivo.


Para reduzir o risco de atropelamentos em gatos que saem de casa, é importante tomar algumas precauções, como manter o gato dentro de casa, especialmente em áreas com tráfego intenso.


Além disso, gatos que saem de casa podem ter outros riscos, tais como:


  1. Brigas com outros animais: gatos que vagam pelas ruas podem se envolver em brigas com outros gatos ou animais, o que pode levar a ferimentos graves, como arranhões e mordidas.

  2. Envenenamento: gatos que saem de casa podem ser expostos a produtos químicos tóxicos, como pesticidas e fertilizantes, ou podem ingerir alimentos ou substâncias perigosas, como venenos para ratos.

  3. Doenças: gatos que saem de casa estão mais expostos a doenças transmitidas por outros animais, como a leucemia felina, o vírus da imunodeficiência felina (FIV) e a raiva.

  4. Parasitas: gatos que saem de casa podem ser infectados por uma variedade de parasitas, incluindo pulgas, carrapatos, vermes e piolhos.

  5. Roubo: gatos que saem de casa podem ser roubados ou se perderem e nunca mais serem encontrados.


Por esses motivos, muitos veterinários recomendam manter os gatos dentro de casa ou em áreas externas seguras e controladas, incluindo o autor, onde eles possam se exercitar e se divertir com segurança.


Referências bibliográficas


Morgan, M. (2018). Trauma management in cats. In Tobias, K. M., et al. (Eds.), Veterinary Surgery: Small Animal (2nd ed., pp. 1781-1792). Elsevier. doi: 10.1016/B978-0-323-41652-1.00119-0


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page