Buscar

Cão ou gato operou: como devo cuidar dos pontos?

Atualizado: 20 de mar.

Cuidados com a ferida cirúrgica geram muitas dúvidas entre tutores de cães e gatos

Após uma cirurgia, seja ela ortopédica ou uma castração, o pet retorna para casa e necessita dos cuidados pós-operatórios por parte da família. Esse período geralmente é grande fonte de dúvidas e preocupações aos tutores do animal recém-operado.


Ao falarmos sobre cuidados pós-operatórios é importante ressaltar que cada veterinário tem sua conduta e orientações, e essas dúvidas devem ser sanadas por cada profissional em particular antes ou depois da cirurgia. Por isso, em caso de dúvidas, consulte seu médico veterinário cirurgião.


Com a nossa equipe, os tutores são orientados a manter o curativo colocado após a cirurgia nas primeiras 24 horas, evitando ao máximo sujá-lo. Assim que chegar o momento de trocar o curativo pela primeira vez, ele deverá ser retirado com bastante cuidado e em alguns casos com o auxílio de um pouco de soro fisiológico.


A partir desse momento, a troca do curativo deverá ser feita pelos tutores duas vezes ao dia, sendo necessário avaliar as condições da ferida. Essa etapa é onde surgem as principais dúvidas. Alterações como a presença de secreções, regiões mais enegrecidas, cheiro forte, hematomas ou até mesmo a presença de pontos soltos devem ser notados pelo tutor. Em caso de dúvida se uma alteração é normal ou não, procure a orientação do seu médico veterinário responsável.


Durante a troca diária, quando o curativo for retirado, é recomendado que a lavagem da ferida seja feita com solução fisiológica e gaze estéril, sendo muito importante secar a ferida após a lavagem. O processo de secar a ferida após a limpeza é essencial, uma vez que a umidade dificulta o processo de cicatrização.


Depois de seca, a ferida deverá receber algum antisséptico ou cicatrizante prescrito pelo veterinário.


Nessa etapa, a gaze deve ser molhada com a solução escolhida e colocada na ferida de forma circular. O ideal é que a limpeza seja iniciada onde os pontos estão e depois que a área ao redor seja limpa da mesma maneira. A manobra permite que você não arraste bactérias para a região da ferida cirúrgica.


Nos primeiros 3 a 5 dias, o curativo deverá ser coberto, já que existe a possibilidade de infecção. Após esse período, nos últimos dias, o curativo deverá ficar aberto, quando já houver crostas e a pele estiver se unindo.


Como para todos os casos há excessões, em casos onde exista risco do cão o gato esfregar ou coçar a ferida em algum local e de exposição à sujeira, os pontos devem permanecer cobertos até o momento da retirada completa.


É importante ressaltar que processo de cicatrização não é igual para todos os animais, e poderá variar entre 7 e 21 dias. O uso de bisturi elétrico pelo cirurgião também poderá influenciar nesse período para mais. Além disso, tanto o colar elisabetano quanto a roupa cirúrgica devem ser utilizados para evitar a contaminação da ferida pelo ambiente e pelo próprio paciente, que poderá lamber ou sujar de urina e fezes.


Gostou do post? Compartilhe!


Acompanhe também nossa equipe no instagram e facebook.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico veterinário (CRMV/SP 39.972) e atua na área de ortopedia e cirurgia de cães e gatos em São Paulo e cidades da região. Realiza consultas em domicílio para tutores e serviço terceirizado para clínicas e hospitais veterinários. Você pode agendar uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321.

15.470 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo