Buscar

Cuidados com cães e gatos paralisados

Atualizado: 1 de dez. de 2021



Alguns casos de danos severos à coluna, principalmente na região toracolombar, podem comumente levar a paralisia dos membros pélvicos (traseiros).


Embora existam diversos tipos de tratamento, infelizmente nem sempre a condição pode ser revertida.


Nesses casos, os cães e gatos com paralisia de membros precisam de cuidados especiais na rotina e muitas vezes os tutores se encontram em uma situação difícil.


O objetivo dessa publicação é orientar a respeito dos cuidados necessários nesses animais, uma vez que o gerenciamento em longo prazo exigirá bastante comprometimento do tutor.


Confira abaixo algumas dicas:


1) Higiene


Para os pacientes que apresentam incontinência urinária e fecal e com incapacidade de higienização, os banhos frequentes são recomendados para evitar problemas de odor, queimaduras pela urina e outras doenças de pele.


Essa frequência de banhos pode ressecar a pele, e seu cão ou gato poderá necessitar do uso de hidratantes. O bom controle de pulgas e carrapatos também é essencial nesses animais. O banho seco e os lenços umedecidos podem ser muito úteis para a higiene.


Existem também alguns sprays de barreira, que servem para proteger a pele contra a irritação causada pela urina, muito comuns no uso humano.


Outro fator que auxilia a higiene dos pets nessas condições é o uso de fraldas humanas para crianças e tapetes higiênicos.


2) Ambiente e escaras de decúbito


O piso que o pet passará a maior parte do tempo deve ser forrado com uma camada impermeável para facilitar a limpeza, ao mesmo tempo que deve ser acolchoado, evitando assim o aparecimento de escaras de decúbito.


A mudança de posição também é importante, e deve ser realizada pelo tutor, evitando que um lado do corpo se machuque demais ao ficar pressionado por muito tempo no chão.


Atualmente existem algumas roupas de apoio que evitam úlceras de pressão nos cotovelos e nas articulações dos membros pélvicos, e podem ser adquiridas on-line.


O cuidado com moscas no ambiente também é essencial nesses casos, e pode se tornar um problema para o animal ao não conseguir espantá-las sozinho.


Por isso, evite deixá-lo sozinho e por muito tempo em locais abertos.


Uma cama ortopédica é um investimento importante para esses animais, e são projetadas para proteger os pontos de pressão das escaras de decúbito.


Ao comprar uma cama ortopédica, certifique-se de que ela possa ser lavada na máquina.


Compre uma segunda cama para usar enquanto outra estiver lavando. Não será muito útil se apenas a coberta da cama for lavada.


3) Mobilidade


Existem alguns tipos de suportes que permitem ao tutor levantar ou carregar o cão, ideais para cães de raças grandes. Eles permitem ao tutor levantar a parte de trás ou da frente do cão, quando ele não conseguir.


4) Esvaziamento da bexiga


Cães e gatos com lesão em coluna muitas vezes não conseguem esvaziar a bexiga sozinhos, ou seja, precisam de ajuda para urinar. Esse tipo de condição predispõe o paciente à infecções urinárias, além do desconforto.


Para avaliar a existência de infecções de urina, esses pacientes precisam ser submetidos a exames de cultura da urina constantemente.


As infecções da bexiga, quando presentes, podem ser tratadas com antibióticos, embora a cultura de urina pré-tratamento seja essencial para determinar qual antibiótico é mais eficaz.


Mudanças de odor ou coloração também podem existir em casos de infecção.


Animais com lesões espinais podem apresentar alterações no tônus ​​da bexiga, ou seja, na maioria dos casos necessitam de compressão manual para esvaziá-la, o que deve ser feito três vezes ao dia pelo tutor, conforme orientado pelo médico veterinário.


Carrinhos de rodas


Os carrinhos de mobilidade são importantes para cães paralisados e ​​que são saudáveis dos membros torácicos (dianteiros).


Um cão com uma parte superior forte será capaz de correr e se exercitar em um carrinho em alguns momentos do dia, o faz bem a saúde física e mental do cão.


Os carrinhos devem ser ajustados de acordo com as medidas do seu cão, e também pode ser encontrados on-line, alguns podem até ser feitos com impressão 3D.


Fisioterapia


Desde que não hajam luxações ou fraturas em tratamento, a flexão e extensão passiva e uma leve massagem são boas para os membros paralisados.


As articulações do membro pélvico devem ser movimentadas por toda a amplitude de movimento. As repetições geralmente são feitas por cerca de 5 a 10 minutos, duas a três vezes ao dia.


Andar com o auxílio de uma toalha apoiada no abdômen também é um exercício útil para manter a musculatura ativa dos membros pélvicos.


Como alternativa à toalha, vários acessórios são comercializados.


O fisiatra veterinário é o melhor profissional para te auxiliar nessa etapa.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico veterinário (CRMV/SP 39.972) e atua na área de ortopedia e cirurgia de cães e gatos em São Paulo e cidades da região. Realiza consultas em domicílio para tutores e serviço terceirizado para clínicas e hospitais veterinários. Você pode agendar uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321.

72 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo