Buscar

Artrite imunomediada em cães e gatos: causas, sintomas e tratamento

Atualizado: 12 de ago.


Etiologia

Os fatores que iniciam a reação imunológica causando a artrite imunomediada são infecções, como por exemplo é visto em cães portadores de leishmaniose visceral canina ou com erliquiose.


A artrite imunomediada é causada pela deposição de imunocomplexos nas articulações (devido a uma reação de hipersensibilidade tipo III), ativação do complemento e atração de um grande número de neutrófilos para as articulações.


Esse processo gera uma sinovite crônica, que pode ser pouco ou muito grave, com ou sem destruição da cartilagem e do tecido ósseo, além de presença de derrame sinovial.


Geralmente, esse grupo de doenças afeta várias articulações, embora não seja descartada a presença de acometimento em uma única articulação.


Raças predispostas

Há relatos que cães da raça Setter, Pastor Alemão e Spaniels adultos jovens tem maior predisposição para a doença.


Classificação


A artrite imunomediada por ser distinguida em dois grupos de acordo com as lesões líticas na cartilagem e/ou osso: a artrite imunomediada erosiva e não erosiva.


Entre as artrites erosivas mediadas por imunocomplexos, está a artrite reumatóide, uma doença rara em cães e extremamente rara em gatos.

Esse tipo de artrite causa sinovite em várias articulações, sendo o principal fator causador o vírus da cinomose, embora a etiologia seja multifatorial.


Outro tipo de artrite erosiva é a poliartrite periosteal (poliartrite progressiva crônica felina), e afeta as articulações do tarso e do carpo com uma reação periosteal acentuada.


Esse tipo de artrite é mais frequente em adultos jovens e machos castrados. A FeLV está relacionada na apresentação desta doença, pois induz a formação de imunocomplexos. Existe também uma segunda variedade que afeta gatos mais velhos, causando deformidades articulares graves.


Enquanto isso, a artrite imunomediada não erosiva, pode estar relacionada com o lúpus eritematoso sistêmico: a poliartrite é mais uma condição de todas as que podem ocorrer nesta doença (anemia imunomediada, trombocitopenia, leucopenia, glomerulonefrite, dermatite e polimiosite). Nesses casos, não há lesões na superfície da cartilagem ou no osso.


Sinais clínicos


Os sinais clínicos mais comuns são claudicação intermitente, podendo afetar várias extremidades, rigidez generalizada, edema articular, deformidade, crepitação, atrofia muscular, ligamentos rompidos. Sinais sistêmicos como depressão, febre e anorexia podem ocorrer ocasionalmente.


Prognóstico


Na maioria dos casos, o prognóstico é reservado, sendo o tratamento limitado a controlar os sinais de do, mas é medicação é sempre necessária.

Tratamento


Para a artrite reumatoide e poliartrite perióstica, nos estágios iniciais, elas podem ser tratadas com AINEs, mas o tratamento mais eficaz é prednisona/olona em doses imunossupressoras com ou sem ciclofosfamida.

Para casos de artrite idiopática, o tratamento é realizado com prednisona/olona, ciclofosfamida ou azatioprina.


Referências


Clark, Stephanie. (2015). Canine Osteoarthritis and Treatments: A Review. Veterinary Science Development. 5. 10.4081/vsd.2015.5931.


Kimura, Tohru. (2017). Canine rheumatoid arthritis characterized by hyperprolactinemia. Veterinary Science Development. 7. 10.4081/vsd.2017.6463.


Kerwin, Sharon. (2010). Osteoarthritis in Cats. Topics in companion animal medicine. 25. 218-23. 10.1053/j.tcam.2010.09.004.


Perry, Karen. (2017). Inflammatory Joint Disease in Cats.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321 ou (11)91258-5102.


3.144 visualizações

Posts recentes

Ver tudo