Buscar

Espondilose em cães e gatos

Atualizado: 23 de nov.

Espondilose anquilosante, espondilose deformante, bico de papagaio

Definição


A espondilose é um termo utilizado para descrever alterações degenerativas na coluna vertebral de cães e gatos.


Quando um paciente apresenta algum tipo de espondilose, uma ou mais vértebras podem apresentar entesófitos. Em alguns casos, os entesófitos podem se tornar grandes o suficiente para formar uma ponte entre os ossos vertebrais adjacentes. Nesses casos, ocorre a espondilose anquilosante. Em gatos, as espondiloses são encontradas com maior frequência ao longo da coluna torácica, lombar e em região sacral.


Etiologia (causa)

A espondilose é uma condição crônica que está associada com o processo de envelhecimento em cães e gatos.

A presença de uma espondilose indica que há instabilidade entre as vértebras, o que pode se desenvolver como um problema secundário à doença degenerativa dos discos intervertebrais ou ligamentos, que tem como principal função estabilizar a articulação. Como consequência, os entesófitos se desenvolvem com o objetivo de gerar estabilidade para a articulação afetada.


Entretanto, a presença de uma espondilose não é indicativo de lesão ou comprometimento medular na região em que ela está presente.


Qualquer doença que cause instabilidade na coluna pode estimular o desenvolvimento de entesófitos.


Predisposição racial


A espondilose pode acometer qualquer raça de cães e gatos, sendo encontrada com maior frequência em animais idosos. Raças condrodistróficas possuem maior predisposição. Sinais clínicos (sintomas)

A maioria dos pacientes com espondilose deformante está livre de sinais clínicos.


Em casos mais raros, o entesófito pode pressionar uma raiz nervosa, causando dor ou claudicação. Diagnóstico


A visualização da espondilose é possível através do exame de radiografia. Em diversas situações, as espondiloses são encontradas por acidente em pacientes submetidos ao exame por outros motivos. Para avaliar lesões medulares relacionadas a doenças de disco, a tomografia computadorizada ou a ressonância magnética são exames mais indicados para o diagnóstico dessas doenças.


Referências bibliográficas


Dr, Joe. (2005). Spondylosis Deformans in the Dog: Its Radiographic Appearance1. Veterinary Radiology. 8. 17 - 22. 10.1111/j.1740-8261.1967.tb01068.x.


Kranenburg, Hendrik-Jan & Voorhout, George & Grinwis, GC & Hazewinkel, Herman & Meij, Björn. (2011). Diffuse idiopathic skeletal hyperostosis (DISH) and spondylosis deformans in purebred dogs: A retrospective radiographic study. Veterinary journal (London, England : 1997). 190. e84-90. 10.1016/j.tvjl.2011.04.008.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.


59 visualizações

Posts recentes

Ver tudo