top of page
Buscar

Tromboembolismo em gatos

Atualizado: 23 de jan.

O tromboembolismo aórtico em gatos é uma condição grave que pode afetar a saúde cardiovascular desses animais.


Esse distúrbio ocorre quando um coágulo sanguíneo se forma dentro do coração ou de grandes vasos sanguíneos e se desloca para bloquear o fluxo sanguíneo em outras partes do corpo, frequentemente atingindo as artérias ilíacas ou aórticas. Isso pode resultar em sintomas severos e até mesmo fatais para o gato.


O tromboembolismo aórtico em gatos frequentemente está associado a problemas cardíacos subjacentes, especialmente cardiomiopatia hipertrófica (CMH). A CMH é uma das doenças cardíacas mais comuns em gatos e pode predispor esses animais à formação de coágulos sanguíneos.


Na cardiomiopatia hipertrófica, o músculo cardíaco se torna espesso e rígido, dificultando o bombeamento eficiente do sangue pelo coração. Isso pode levar a alterações no fluxo sanguíneo, criando áreas onde o sangue pode estagnar e formar coágulos.


Os coágulos que se formam no coração de um gato com cardiomiopatia hipertrófica podem se desprender e viajar através da corrente sanguínea, potencialmente causando o bloqueio de artérias importantes. Esses coágulos deslocados são a causa do tromboembolismo aórtico em muitos casos.


Nesses gatos, a identificação precoce de problemas cardíacos e o manejo adequado dessas condições são fundamentais para reduzir o risco de formação de coágulos e complicações associadas.


Raças Predispostas


Embora o tromboembolismo aórtico possa afetar gatos de qualquer raça, certas raças, como Persas, Maine Coons e gatos domésticos de pelo curto, parecem ter uma maior predisposição para desenvolver essa condição. Isso pode estar relacionado à predisposição genética ou a outras condições de saúde subjacentes.


Diagnóstico


Identificar o tromboembolismo aórtico em um gato requer uma avaliação detalhada realizada por um veterinário. Os sinais clínicos podem incluir paralisia súbita nas patas traseiras, dor intensa, fraqueza muscular e até mesmo falta de pulso nas extremidades afetadas.


Para confirmar a presença do coágulo e sua localização específica, métodos de imagem, como ultrassonografia doppler ou exames de ressonância magnética (RM) e tomografia computadorizada (TC), são mais indicados.


A ultrassonografia é particularmente útil para avaliar o fluxo sanguíneo, enquanto a RM e a TC oferecem imagens mais detalhadas dos vasos sanguíneos, ajudando na confirmação do diagnóstico.


O diagnóstico definitivo do tromboembolismo aórtico em gatos geralmente é uma combinação de sinais clínicos, exames físicos detalhados e técnicas de imagem especializadas, sendo os métodos de imagem avançados os mais precisos para identificar a presença e localização dos coágulos.


Tratamento


O tratamento para o tromboembolismo aórtico visa aliviar a dor, restaurar o fluxo sanguíneo e prevenir complicações adicionais. Isso geralmente envolve o uso de medicamentos anticoagulantes para dissolver o coágulo, medicamentos para controlar a dor e a inflamação, além de suporte médico para o gato se recuperar.


Prognóstico

O prognóstico do tromboembolismo aórtico em gatos pode variar significativamente, dependendo de vários fatores, incluindo a extensão do bloqueio vascular, a resposta ao tratamento e quaisquer condições subjacentes que possam ter contribuído para a formação do coágulo.


Infelizmente, em muitos casos, o tromboembolismo aórtico é uma condição grave e potencialmente fatal. Os coágulos sanguíneos podem causar danos significativos aos tecidos afetados, resultando em dor aguda, paralisia e disfunção de órgãos importantes. Além disso, as complicações decorrentes do bloqueio do fluxo sanguíneo podem comprometer severamente a saúde do gato.


O tratamento imediato e agressivo é essencial para melhorar as chances de recuperação. Os medicamentos anticoagulantes podem ajudar a dissolver o coágulo e prevenir a formação de novos, aliviando a obstrução e minimizando os danos aos tecidos. No entanto, o sucesso do tratamento pode variar, e alguns casos podem ser mais desafiadores devido à extensão do bloqueio e às complicações associadas.


Em alguns casos, mesmo com tratamento adequado, alguns gatos podem ter recorrência do tromboembolismo aórtico. É importante estar ciente de que essa condição pode indicar problemas subjacentes de saúde, como doença cardíaca ou outros distúrbios, que podem precisar de gerenciamento a longo prazo para reduzir o risco de futuros episódios.


Caso você note sintomas como dificuldade de locomoção, dor aguda ou fraqueza súbita nas patas traseiras do seu gato, é crucial buscar atendimento veterinário imediato.


Na Ortho for Pets, clínica veterinária especializada em ortopedia localizada na Alameda dos Guaramomis, 1067, Moema, São Paulo, SP, nossa equipe altamente qualificada e especializada está pronta para oferecer cuidados dedicados ao seu gato.


Entre em contato pelo Whatsapp: (11) 91258-5102 e agende uma consulta.


Cuidar da saúde do seu gato é fundamental, e agir rapidamente diante de sintomas preocupantes pode fazer toda a diferença no tratamento e na recuperação.


Referências bibliográficas


1. "Feline aortic thromboembolism: an update." J. Rush, C. Campbell. The Canadian Veterinary Journal. 2018.

2. "Feline arterial thromboembolism: an update." R.H. Wesselingh-Smolders, A.J. Tidholm. Journal of Feline Medicine and Surgery. 2017.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

75 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page