top of page

Tratamento para hérnia de disco em cães

O tratamento de hérnias de disco em cães é um campo complexo e multidisciplinar da medicina veterinária, que envolve abordagens clínicas, cirúrgicas e de reabilitação para melhorar a qualidade de vida dos animais afetados.


As hérnias de disco, também conhecidas como doença do disco intervertebral (DDIV), são condições comuns, especialmente em raças predispostas como Dachshunds, Beagles e Shih Tzus.


Esta condição ocorre quando o disco intervertebral, que atua como um amortecedor entre as vértebras da coluna, se desloca ou se rompe, pressionando a medula espinhal e os nervos circundantes.

O diagnóstico precoce e preciso é fundamental para determinar a melhor abordagem terapêutica. Os sintomas de uma hérnia de disco em cães podem variar de dor leve e rigidez a paralisia completa dos membros afetados.


Os sinais clínicos mais comuns incluem dificuldade para caminhar, perda de coordenação, dor ao toque na coluna vertebral e, em casos graves, perda de controle da bexiga e intestinos.


A confirmação do diagnóstico geralmente requer exames de imagem avançados, como radiografias, tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM), que permitem visualizar o grau de compressão da medula espinhal e a localização exata da hérnia.


O manejo da DDIV pode ser conservador ou cirúrgico, dependendo da gravidade dos sintomas e da resposta inicial ao tratamento. O tratamento conservador é geralmente indicado para casos leves a moderados e inclui repouso estrito, medicamentos anti-inflamatórios, analgésicos e fisioterapia.


O objetivo é reduzir a inflamação e a dor, permitindo que o disco intervertebral se estabilize naturalmente. O repouso é crucial para evitar movimentos que possam agravar a compressão nervosa.


Os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) e os corticosteróides são frequentemente prescritos para controlar a inflamação, enquanto analgésicos são usados para aliviar a dor.


A fisioterapia e a reabilitação são componentes essenciais do tratamento conservador e pós-cirúrgico. Exercícios específicos e técnicas como a hidroterapia ajudam a fortalecer os músculos, melhorar a coordenação e aumentar a mobilidade sem colocar pressão excessiva na coluna vertebral.


A terapia a laser e a acupuntura também têm mostrado benefícios na redução da dor e na promoção da cicatrização.


Em casos graves, onde há paralisia ou dor intensa que não responde ao tratamento conservador, a cirurgia pode ser necessária.


Existem várias técnicas cirúrgicas disponíveis, e a escolha do procedimento depende da localização e do tipo de hérnia.


A decisão cirúrgica deve ser tomada com base em uma avaliação completa do estado de saúde do animal, dos riscos associados ao procedimento e das chances de recuperação.


O prognóstico para cães com hérnia de disco varia amplamente. Cães com sintomas leves a moderados que recebem tratamento conservador adequado muitas vezes recuperam-se completamente.


No entanto, a recuperação pode ser um processo lento, exigindo semanas ou meses de cuidados. Para cães submetidos a cirurgia, o prognóstico depende da gravidade da compressão medular e da rapidez com que o tratamento é iniciado.


Cães que ainda têm alguma função motora antes da cirurgia geralmente têm um prognóstico favorável, enquanto aqueles com paralisia total podem ter uma recuperação mais incerta.


A prevenção de recidivas é uma parte importante do manejo a longo prazo. Os tutores devem ser orientados a limitar atividades que possam causar estresse na coluna vertebral do cão, como saltos e subidas em superfícies elevadas.


O controle do peso é igualmente crucial, pois a obesidade pode exacerbar a pressão sobre a coluna vertebral. Programas regulares de exercícios e fortalecimento muscular sob a orientação de um fisioterapeuta veterinário podem ajudar a manter a saúde da coluna e prevenir futuras hérnias.


Em conclusão, o tratamento de hérnias de disco em cães é um desafio que exige uma abordagem integrada e individualizada.


O sucesso terapêutico depende de um diagnóstico preciso, de uma escolha adequada entre tratamento conservador e cirúrgico, e de um programa de reabilitação bem planejado.


A colaboração entre veterinários, fisioterapeutas e tutores é essencial para proporcionar o melhor cuidado possível e melhorar significativamente a qualidade de vida dos cães afetados por esta condição debilitante.


Referências bibliográficas


Coates, Joan. (2000). Intervertebral Disk Disease. The Veterinary clinics of North America. Small animal practice. 30. 77-110, vi. 10.1016/S0195-5616(00)50004-7.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta presencial ou consultoria on-line por vídeo pelo whatsapp (11)91258-5102.



19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page