top of page

Osteocondrose do côndilo umeral em cães

Atualizado: 23 de jan.

A osteocondrose da porção medial do côndilo umeral é uma doença articular que afeta os cães, especialmente os de raças grandes, jovens e em rápido crescimento.


É caracterizada pela falha na ossificação do núcleo epifisário do côndilo umeral medial, levando a um amolecimento e desintegração da cartilagem articular.


Essa condição pode levar a dor, claudicação, rigidez e limitação de movimento do membro afetado.


As causas da osteocondrose da porção medial do côndilo umeral ainda não são completamente compreendidas, mas estudos sugerem que podem estar relacionadas a fatores genéticos, nutricionais e mecânicos.


Acredita-se que a nutrição inadequada e o rápido crescimento possam levar a uma má formação óssea, enquanto o estresse mecânico excessivo na articulação do ombro pode desencadear a falha da ossificação do núcleo epifisário.


O diagnóstico da osteocondrose da porção medial do côndilo umeral pode ser desafiador, uma vez que os sinais clínicos podem ser semelhantes a outras condições articulares, como osteoartrite.


O diagnóstico definitivo pode ser feito por meio de radiografia e/ou tomografia computadorizada da articulação do ombro, que pode mostrar uma área radiolucente na porção medial do côndilo umeral.


O tratamento da osteocondrose da porção medial do côndilo umeral depende da gravidade da condição e pode variar de cuidados conservadores a cirurgia.


O tratamento conservador pode incluir repouso, medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, fisioterapia e modificação da dieta.


A cirurgia pode ser recomendada em casos mais graves, como a remoção do fragmento de cartilagem solta ou a realização de osteotomia corretiva.


A prevenção da osteocondrose da porção medial do côndilo umeral envolve um cuidado adequado com a nutrição e o manejo, especialmente em cães de raças grandes e em rápido crescimento.


Os filhotes devem receber uma alimentação equilibrada e em quantidade adequada para evitar um rápido ganho de peso e crescimento ósseo excessivo.


Além disso, a atividade física deve ser monitorada para evitar lesões articulares e estresse excessivo nas articulações do ombro.


Referências bibliográficas


Mendoza, K. A., & Innes, J. F. (2019). Shoulder osteochondrosis. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice, 49(5), 821-836. doi: 10.1016/j.cvsm.2019.03.007


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

504 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page