top of page

Osteoartrose em cães: Causas e sintomas

A osteoartrose, também conhecida como artrose, é uma doença degenerativa das articulações que afeta muitos cães, especialmente aqueles de idade avançada. Esta condição é caracterizada pela deterioração progressiva da cartilagem articular, que é o tecido que reveste e protege as extremidades dos ossos dentro das articulações.

A cartilagem saudável permite movimentos suaves e sem fricção entre os ossos, mas quando ela se desgasta, os ossos começam a se esfregar diretamente uns contra os outros, resultando em dor, inflamação e perda de mobilidade.

As causas da osteoartrose em cães podem ser variadas. Em muitos casos, a doença está associada ao envelhecimento natural. À medida que os cães envelhecem, a capacidade de suas articulações de se regenerarem diminui, o que torna a cartilagem mais suscetível a danos. Além disso, fatores genéticos podem desempenhar um papel significativo. Certas raças são mais propensas a desenvolver osteoartrose devido a predisposições hereditárias. Raças grandes e gigantes, como Labradores, Pastores Alemães e Golden Retrievers, frequentemente apresentam uma maior incidência de problemas articulares, incluindo a osteoartrose.

Traumas ou lesões nas articulações, como fraturas ou luxações, também podem desencadear o desenvolvimento de osteoartrose. Nestes casos, o dano inicial à cartilagem pode iniciar um processo de degradação que se agrava com o tempo. Outra causa comum é a displasia, tanto de quadril quanto de cotovelo, que é uma malformação congênita que provoca um encaixe inadequado das articulações, resultando em desgaste excessivo da cartilagem.

Obesidade é outro fator de risco significativo. O excesso de peso aumenta a carga sobre as articulações, acelerando o desgaste da cartilagem e agravando a inflamação. É crucial que os tutores de cães mantenham um controle rigoroso do peso de seus animais para prevenir ou retardar a progressão da osteoartrose.

Os sintomas da osteoartrose em cães podem variar de sutis a muito evidentes, dependendo da gravidade da condição. No início, os sinais podem ser difíceis de detectar, mas com o tempo, os donos podem observar que seus cães estão menos ativos e têm dificuldade em realizar atividades que antes faziam com facilidade. Rigidez, especialmente após períodos de repouso, é comum. Os cães podem apresentar relutância em subir escadas, saltar em móveis ou entrar no carro. Manqueira ou claudicação também são sintomas frequentes e podem variar de intensidade ao longo do dia.

Outro sinal clássico de osteoartrose é a mudança no comportamento. Cães que antes eram sociáveis e brincalhões podem se tornar mais irritadiços ou agressivos devido à dor crônica. Eles podem evitar o contato físico ou lamber constantemente as articulações afetadas na tentativa de aliviar o desconforto.

Em alguns casos, os donos podem perceber um inchaço nas articulações, que pode ser doloroso ao toque. A musculatura ao redor da articulação afetada pode se tornar menos desenvolvida, resultando em atrofia muscular devido à diminuição do uso da perna afetada. Este conjunto de sintomas pode causar uma significativa redução na qualidade de vida do cão, tornando essencial o diagnóstico e manejo precoces da condição.

Para um diagnóstico adequado, é necessário consultar um veterinário especializado em ortopedia, que pode recomendar exames de imagem como radiografias para avaliar a extensão dos danos articulares. Uma vez diagnosticada a osteoartrose, o tratamento pode incluir mudanças na dieta, controle de peso, exercícios específicos, medicamentos para a dor e inflamação, e em casos graves, intervenções cirúrgicas.

A prevenção é sempre preferível ao tratamento, e medidas como manter o peso saudável do cão, proporcionar uma dieta equilibrada e evitar atividades que possam causar lesões nas articulações são fundamentais. Para cães predispostos geneticamente, suplementos para a saúde das articulações, como glucosamina e condroitina, podem ser benéficos.

A osteoartrose é uma condição séria e comum em cães, mas com cuidados apropriados, é possível melhorar significativamente a qualidade de vida dos nossos pets, permitindo que desfrutem de uma vida ativa e confortável por muitos anos.


Referências bibliográficas


Clark, Stephanie. (2015). Canine Osteoarthritis and Treatments: A Review. Veterinary Science Development. 5. 10.4081/vsd.2015.5931.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

댓글


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page