top of page

Luxação em cães

Luxações em cães são problemas ortopédicos relativamente comuns que ocorrem quando os ossos de uma articulação são deslocados de suas posições normais. Esse deslocamento pode causar dor intensa, inchaço e perda de função na articulação afetada. As causas das luxações em cães variam amplamente e podem incluir traumas físicos, predisposição genética, condições degenerativas e outros fatores subjacentes.


Uma das causas mais comuns de luxações em cães é o trauma. Acidentes como quedas, atropelamentos e brigas podem resultar em forças suficientemente fortes para deslocar uma articulação. Cães que são muito ativos ou que praticam esportes também estão em risco de sofrer luxações devido ao esforço físico intenso ou movimentos bruscos.

Além do trauma, certas raças de cães são geneticamente predispostas a luxações devido à sua anatomia específica. Raças pequenas, como o Yorkshire Terrier e o Poodle Toy, são mais suscetíveis a luxações patelares, onde a rótula se desloca de seu sulco no fêmur. Já em raças maiores, como o Labrador Retriever e o Pastor Alemão, luxações de quadril podem ocorrer com mais frequência devido a displasias articulares.

Condições degenerativas, como a artrite, também podem enfraquecer as articulações e os ligamentos, aumentando o risco de luxações. À medida que os cães envelhecem, a degeneração da cartilagem e o enfraquecimento dos tecidos de suporte tornam as articulações mais suscetíveis a deslocamentos. Doenças metabólicas e distúrbios hormonais, como o hipotiroidismo, também podem contribuir para a fragilidade articular.

O tratamento de luxações em cães depende da gravidade da lesão e da articulação afetada. Em casos de luxações agudas causadas por trauma, o tratamento inicial envolve estabilizar o animal, administrar medicamentos para a dor e avaliar se é há viabilidade de reduzir a luxação manualmente.

Caso seja possível a redução, pode ser necessário imobilizar a articulação com talas ou bandagens para permitir que os tecidos lesionados cicatrizem adequadamente. O período de imobilização varia conforme a gravidade da lesão e a resposta do animal ao tratamento. Em alguns casos, pode ser necessário limitar a atividade física do cão e fornecer suporte adicional, como fisioterapia, para promover a recuperação e fortalecer os músculos ao redor da articulação.

Para luxações crônicas ou recorrentes, o tratamento pode exigir intervenções cirúrgicas. Existem várias técnicas cirúrgicas disponíveis, dependendo da articulação envolvida e da natureza da luxação.


Além do tratamento imediato, é crucial abordar qualquer condição subjacente que possa ter contribuído para a luxação. Se a luxação foi resultado de uma condição degenerativa ou genética, o veterinário pode recomendar um plano de manejo a longo prazo, que pode incluir suplementos articulares, modificações na dieta e programas de exercícios específicos para melhorar a saúde das articulações e prevenir novas lesões.

A prevenção das luxações em cães envolve várias estratégias, incluindo o controle de peso, que é fundamental para reduzir o estresse nas articulações, especialmente em raças predispostas a problemas articulares. Manter um regime de exercícios regular e adequado ajuda a fortalecer os músculos e a manter a flexibilidade das articulações. Além disso, é importante proporcionar um ambiente seguro, evitando situações que possam levar a traumas, como saltos de grandes alturas ou acesso a áreas perigosas.

Os tutores de cães também devem estar atentos a sinais de desconforto ou dor nas articulações de seus animais de estimação, como mancar, relutância em se mover, inchaço ou sensibilidade ao toque.


A detecção precoce de problemas articulares e a busca imediata de atendimento veterinário podem fazer uma grande diferença na recuperação do animal e na prevenção de complicações a longo prazo.


Em resumo, as luxações em cães são condições dolorosas que podem resultar de uma variedade de causas, incluindo traumas, predisposição genética e condições degenerativas. O tratamento eficaz depende do diagnóstico rápido e da intervenção adequada, que pode variar de métodos conservadores, como a redução manual e imobilização, a procedimentos cirúrgicos mais complexos.


A prevenção e o manejo contínuo são essenciais para garantir a saúde e o bem-estar das articulações dos cães, permitindo-lhes levar uma vida ativa e confortável.


Referências bibliográficas


DVM,, DAVID & DVM,, MICHAEL & DVM, MS. (2008). Traumatic Coxofemoral Luxation In Dogs Results of Repair. Veterinary Surgery. 13. 263 - 270. 10.1111/j.1532-950X.1984.tb00807.x.

Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page