top of page

Intoxicação por paracetamol em cães e gatos

A intoxicação por paracetamol em cães e gatos é uma situação preocupante e potencialmente fatal que requer atenção imediata e cuidados veterinários especializados.


O paracetamol, também conhecido como acetaminofeno, é um medicamento amplamente utilizado em humanos para aliviar a dor e reduzir a febre. No entanto, o que muitas pessoas não sabem é que o paracetamol é extremamente tóxico para os animais de estimação, especialmente para os gatos.

Os cães também podem ser afetados pela ingestão de paracetamol, mas são relativamente mais resistentes do que os gatos. A toxicidade do paracetamol em cães e gatos está relacionada à forma como seus corpos metabolizam a substância.


As enzimas envolvidas na metabolização do paracetamol são principalmente a sulfotransferase (SULT) e a glicuroniltransferase (UGT). Essas enzimas estão localizadas no fígado e são responsáveis por transformar o paracetamol em metabólitos inativos que podem ser facilmente eliminados do corpo.

Em humanos, essas enzimas estão presentes em quantidades suficientes para metabolizar o paracetamol de forma segura. No entanto, em cães e gatos, a atividade dessas enzimas é significativamente menor, especialmente no caso das glicuroniltransferases. Isso significa que os animais de estimação metabolizam o paracetamol de forma mais lenta e menos eficiente do que os humanos, levando a uma acumulação de metabólitos tóxicos no organismo.

A falta de atividade adequada dessas enzimas hepáticas é o principal motivo pelo qual os cães e, principalmente, os gatos, são muito mais sensíveis à toxicidade do paracetamol em comparação com os humanos. Como resultado, a ingestão mesmo de pequenas quantidades de paracetamol pode levar a danos graves no fígado, insuficiência renal e outros problemas de saúde potencialmente fatais em cães e gatos. Enquanto os humanos podem processar o paracetamol de forma segura, os cães e especialmente os gatos, carecem de certas enzimas hepáticas necessárias para metabolizar eficazmente o medicamento. Como resultado, o paracetamol pode causar danos graves ao fígado, insuficiência renal e até mesmo levar à morte em animais de estimação.

A intoxicação por paracetamol em cães e gatos pode ocorrer de várias maneiras. Um cenário comum é quando os tutores administram acidentalmente medicamentos humanos contendo paracetamol a seus animais de estimação, sem perceber os riscos envolvidos. Além disso, os animais podem ingerir comprimidos que encontram no chão, em bolsas ou em locais facilmente acessíveis. Em alguns casos, os tutores podem tentar tratar seus animais em casa sem orientação veterinária adequada, o que pode agravar ainda mais a situação.

Os sintomas de intoxicação por paracetamol em cães e gatos podem variar em gravidade, dependendo da quantidade ingerida e do tempo desde a exposição. Entre os sinais mais comuns estão vômito, diarreia, letargia, dificuldade respiratória, icterícia (coloração amarelada das mucosas e pele), inchaço facial, respiração rápida ou ofegante, hemorragia e colapso. É importante estar ciente de que os gatos são especialmente sensíveis ao paracetamol e mesmo pequenas quantidades podem ser fatais.

Diante de qualquer suspeita de intoxicação por paracetamol, é crucial procurar imediatamente um veterinário. O diagnóstico é geralmente baseado em uma combinação de histórico clínico, sinais clínicos e, em alguns casos, testes laboratoriais para avaliar a função hepática e renal do animal. O tratamento da intoxicação por paracetamol em cães e gatos é uma emergência médica e pode incluir várias medidas, como indução de vômito para remover o paracetamol do estômago, administração de carvão ativado para absorver a substância restante no trato gastrointestinal, terapia de suporte com fluidoterapia intravenosa para manter a hidratação e estabilizar a função renal e hepática, administração de medicamentos para proteger o fígado e, em casos graves, transfusões de sangue ou outras intervenções específicas.

Além do tratamento imediato, é essencial adotar medidas preventivas para evitar a intoxicação por paracetamol em cães e gatos. Isso inclui armazenar todos os medicamentos, tanto humanos quanto veterinários, em locais seguros e fora do alcance dos animais de estimação. Nunca administre medicamentos humanos a um animal sem orientação veterinária adequada e descarte adequadamente qualquer medicação não utilizada. Além disso, mantenha uma lista atualizada de todos os medicamentos que você possui em casa e esteja ciente de seus potenciais riscos para seus animais de estimação.

Em suma, a intoxicação por paracetamol em cães e gatos é uma condição séria que requer atenção imediata e cuidados veterinários especializados.


Referências bibliográficas


Abdelgayed, Sherein & Abd El-Baky, Abeer. (2010). Diagnostic studies on acetaminophen toxicosis in Dogs. Global veterinaria. 5. 72-83.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta presencial ou consultoria on-line pelo whatsapp (11)91258-5102.

104 visualizações0 comentário

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page