Buscar

Hiperparatireoidismo em cães

Atualizado: 17 de mai.

Hiperparatireoidismo primário, hiperparatireoidismo secundário nutricional, hiperparatireoidismo secundário renal.

Keeshond. Raça pouco comum no Brasil é predisposta ao hiperparatireoidismo primário.

Definição


O hiperparatireoidismo é uma doença em que ocorre a produção excessiva do paratormônio (PTH) pelas paratireóides.


Essas glândulas são as responsáveis por regular a proporção cálcio e fósforo (2:1) no organismo do animal. O PTH é o responsável por aumentar os níveis de cálcio no sangue, fazendo com que o cálcio seja reabsorvido dos ossos quando necessário.


Etiologia (causa)


Existem duas formas de hiperparatireoidismo em cães:


Na forma primária, um tumor na glândula paratireoide produz níveis excessivos de PTH, levando ao aumento dos níveis de cálcio no sangue (hipercalcemia).


Enquanto isso, a forma secundária ocorre por deficiência de cálcio e vitamina D e está associada à desnutrição ou doença renal crônica.


Predisposição racial


O Keeshond e o Pastor Alemão possuem predisposição ao hiperparatireoidismo primário, enquanto para a forma secundária da doença não há predisposição racial.


Sinais clínicos

  • Poliúria (aumento da quantidade de urina).

  • Polidipsia (aumento da ingestão de água).

  • Êmese

  • Prostração

  • Anorexia

  • Fraturas ósseas (Hiperparatireoidismo secundário nutricional)

  • "Mandíbula de borracha" (Hiperparatireoisimo secundário renal).

Diagnóstico

Para diagnosticar o hiperparatireoidismo primário é necessário realizar a dosagem sanguínea de cálcio e fósforo, além da dosagem de PTH.


Em um cão sem hiperparatireoidismo mas com hipercalcemia, o nível de PTH deve ser baixo, uma vez que não há necessidade de mais absorção de cálcio.


Exames de imagem como radiografia e ultrassonografia cervical também podem auxiliar no diagnóstico dessa doença.


Para diagnosticar a forma secundária da doença, deve-se avaliar sinais de insuficiência renal, dosagem de cálcio e fósforo, níveis de PTH e a dosagem de vitamina D também pode ser realizada.


Tratamento


O tratamento mais comum para o hiperparatireoidismo primário é a remoção cirúrgica da glândula afetada.


O tratamento clínico dessa forma da doença permite reduzir os níveis de cálcio a curto e médio prazo, mas apenas de forma paliativa.


Enquanto isso, o tratamento da forma secundária pode ser realizado de forma clínica.


Prognóstico


Embora a cirurgia seja desafiadora, os cães tratados com sucesso para hiperparatireoidismo primário tem prognóstico excelente.


Uma pequena parte dos casos pode desenvolver a doença novamente em uma das glândulas paratireóides restantes.

Em cães sem tratamento para a forma primária, os níveis elevados de cálcio em longo prazo podem levar ao acúmulo de depósitos de cálcio mineralizado nos rins e outros órgãos, causando a perda da função renal.


Referências bibliográficas


Gensen, Olaf & Hetzel, Udo. (2007). Primary hyperparathyroidism in a dog - Diagnosis and therapy. Kleintierpraxis. 52. 84-89.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico veterinário (CRMV/SP 39.972) e atua na área de ortopedia e cirurgia de cães e gatos em São Paulo e cidades da região. Realiza consultas em domicílio para tutores de cães e gatos. Você pode agendar uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321.


243 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo