Buscar

Colocefalectomia em cães

Ostectomia da cabeça e colo femoral, excisão artroplástica da cabeça e colo femoral, excisão da cabeça e colo femoral.

Definição

A colocefalectomia é um procedimento cirúrgico que visa restaurar a mobilidade do cão, reduzindo a dor de uma articulação coxofemoral danificada, através da remoção da cabeça e o colo (pescoço) do fêmur.


Uma cirurgia de colocefalectomia restaura a mobilidade do quadril pois evita o atrito constante de uma articulação deslocada ou irregular.


Após a cirurgia, os músculos do membro pélvico seguram o fêmur no lugar e, com o tempo, o tecido cicatricial se forma entre o acetábulo e o fêmur para fornecer um amortecimento que é conhecido como uma "falsa articulação".


Embora essa articulação seja anatomicamente muito diferente de uma articulação do quadril normal, ela fornece mobilidade sem dor na maioria dos pacientes.


Indicação cirúrgica


A cirurgia de colocefalectomia é um procedimento comumente recomendado em cães de pequeno porte, especialmente aqueles que estão com o peso adequado.


Os cães ativos geralmente apresentam melhores resultados com colocefalectomia do que os cães menos ativos. A massa muscular desenvolvida através da atividade física ajuda a estabilizar a articulação, permitindo que o paciente recupere a mobilidade sem dor mais rapidamente do que os que realizam pouca atividade.


Por outro lado, os animais inativos tem menos massa muscular ao redor da articulação, tornando a articulação menos estável no pós-operatório e levando a um maior tempo de recuperação.


O objetivo principal da cirurgia de colocefalectomia é remover o contato osso com osso, restaurando a mobilidade sem dor. Os motivos mais comuns para indicar essa cirurgia incluem:


Fraturas envolvendo o quadril: Quando uma fratura envolve a articulação do quadril e não pode ser reparada cirurgicamente (devido a considerações do paciente ou financeiras para o tutor), uma colocefalectomia pode fornecer a melhor opção para uma mobilidade sem dor.


Luxação/subluxação do quadril (por trauma ou displasia grave do quadril): Em alguns casos, uma cabeça do fêmur deslocada (luxada), não pode ser realocada de forma fechada ou aberta (por correção cirúrgica). Nesses casos, a colocefalectomia poderá ajudar com a dor.


Artrose severa do quadril: Na artrose, a cartilagem que protege tanto a cabeça do fêmur quanto o acetábulo sofrem erosão, causando dor sempre que o quadril for movimentado.


A realização de um excisão de cabeça e colo femoral podem remover esse ponto de contato e aliviar a dor.


Doença de Legg-Perthes (também conhecida como necrose avascular da cabeça femoral). Essa doença faz com que o osso dentro da cabeça do fêmur comece a necrosar (morrer) em idade precoce. O osso entra em colapso devido a essas alterações degenerativas, causando dor intensa. A remoção da cabeça e colo femoral elimina a fonte de dor para o cão, uma vez que remove o atrito entre as partes ósseas.


Pós-operatório


Os cuidados com os cães que realizaram a colocefalectomia variam de acordo com as necessidades do paciente específico, mas em geral, a recuperação pode ser dividida em duas fases.


Nos primeiros dias de pós-operatório, o cão estará se recuperando do procedimento cirúrgico. Como ossos e músculos são incisados durante o procedimento, o foco nesse período será o controle da dor, sendo necessário a administração da medicação.


Durante os primeiros dias de pós-operatório, é recomendada a restrição das atividades, sendo importante restringir o espaço e evitar o acesso a locais altos.


A fase seguinte consiste em introduzir atividades físicas leves, o que trará benefícios após uma semana de cirurgia. Durante esse período de recuperação, o foco muda para a reconstrução da massa muscular e da força do paciente. A maioria dos cães apresenta sinais de recuperação completa aproximadamente seis semanas após a cirurgia. Nesse período, provavelmente ele poderá retomar suas atividades normais.


O retorno à função pode ser mais rápida nos cães com função normal até pouco antes da colocefalectomia, e pode ser mais lenta naqueles com problemas crônicos, devido à atrofia muscular.


Caso não ocorra melhora significativa em seis semanas após a cirurgia, a reabilitação por um programa de fisioterapia deve ser realizada. Além disso, quando iniciada logo após a retirada dos pontos, a fisioterapia auxilia também em uma recuperação mais rápida.


Prognóstico


A maioria dos cães se recupera totalmente após a cirurgia e recupera a função normal do membro afetado, entretanto, cães grandes e pesados possuem um prognóstico um pouco mais desfavorável.


Alguns cães com colocefalectomia podem ter o membro com uma amplitude de movimento levemente diminuída, assim como o comprimento do membro discretamente reduzido após a cirurgia.


Esses impactos são mínimos e tendem a não afetar a qualidade de vida em cães leves e com musculatura bem desenvolvida.


Referências bibliográficas


Yap, Fui & Dunn, Andrew & Garcia-Fernandez, Paloma & Brown, Gordon & Allan, Ross & Calvo, Ignacio. (2014). Femoral head and neck excision in cats: medium- to long-term functional outcome in 18 cats. Journal of feline medicine and surgery. 17. 10.1177/1098612X14556848.


Liska, William & Doyle, N & Marcellin-Little, Denis & Osborne, J. (2009). Total hip replacement in three cats: Surgical technique, short-term outcome and comparison to femoral head ostectomy. Veterinary and comparative orthopaedics and traumatology : V.C.O.T. 22. 505-10. 10.3415/VCOT-08-09-0087. Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico veterinário (CRMV/SP 39.972) e atua na área de ortopedia e cirurgia de cães e gatos em São Paulo e cidades da região. Realiza consultas em domicílio para tutores e serviço terceirizado para clínicas e hospitais veterinários. Você pode agendar uma consulta pelo whatsapp (11)91152-4321.

614 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo