top of page

Cães sem raça definida apresentam menos problemas ortopédicos?

Os cães sem raça definida, comumente chamados de vira-latas, têm uma reputação amplamente aceita de serem mais saudáveis e robustos em comparação com cães de raça pura. Essa percepção é sustentada por várias razões que estão enraizadas tanto na genética quanto na criação desses animais.



Primeiramente, a diversidade genética desempenha um papel crucial na saúde dos cães sem raça definida. Esses cães são produtos de gerações de cruzamentos entre diferentes raças, o que resulta em um pool genético mais variado.


Essa diversidade genética tende a reduzir a probabilidade de herança de doenças genéticas recessivas, que são mais comuns em cães de raça pura devido à prática de cruzamentos seletivos.


Os cães de raça pura são muitas vezes criados dentro de um grupo genético restrito para manter características específicas da raça, o que pode levar a uma maior incidência de certas doenças hereditárias. Em contraste, os SRD, devido à sua variada herança genética, têm menos chance de herdar duas cópias de um gene defeituoso que possa levar a uma doença.


Além disso, o processo de seleção natural também contribui para a robustez dos cães sem raça definida. Ao contrário dos cães de raça pura, que são frequentemente criados em ambientes controlados e protegidos, os SRD geralmente nascem e crescem em condições menos controladas e mais desafiadoras. Isso significa que apenas os cães mais saudáveis e adaptáveis sobrevivem e se reproduzem, transmitindo seus genes resistentes às gerações seguintes. Esse tipo de seleção natural pode, ao longo do tempo, resultar em uma população de cães mais resilientes e menos propensos a doenças.


Entretanto, é importante notar que essa generalização pode não se aplicar a todos os cães sem raça definida. A saúde de qualquer cão, seja de raça pura ou não, depende de vários fatores, incluindo nutrição, cuidados veterinários, ambiente e estilo de vida. Mesmo um cão sem raça definida pode sofrer de problemas de saúde se não for bem cuidado ou se for exposto a condições adversas.


Os cães de raça pura, por outro lado, são frequentemente sujeitos a padrões rigorosos de criação que podem focar excessivamente em características estéticas em detrimento da saúde.


Muitos criadores seguem padrões estabelecidos por associações de criadores, que especificam as características físicas desejáveis para cada raça. Embora isso possa resultar em cães que se conformam a um padrão ideal de raça, também pode levar a problemas de saúde se essas características físicas forem prejudiciais.


Por exemplo, raças com focinhos extremamente curtos, como Bulldogs e Pugs, frequentemente sofrem de problemas respiratórios devido à sua conformação craniana. Da mesma forma, raças grandes como o Pastor Alemão podem ter predisposição a problemas de quadril e articulações devido à estrutura óssea imposta pelos padrões da raça.


Além disso, a pressão para criar cães que atendam aos padrões de raça pode levar ao uso de práticas de criação que aumentam a consanguinidade, exacerbando problemas de saúde hereditários. A consanguinidade pode concentrar genes deletérios, aumentando a probabilidade de doenças genéticas se manifestarem. Em contrapartida, a mistura genética encontrada em cães sem raça definida geralmente dispersa esses genes, reduzindo o risco de doenças hereditárias.


Por outro lado, é crucial considerar que os cães de raça pura podem beneficiar de cuidados veterinários mais específicos e de programas de criação responsáveis que busquem minimizar problemas de saúde.


Criadores responsáveis estão cada vez mais conscientes da importância de testar e selecionar cães para evitar a transmissão de doenças genéticas, o que pode ajudar a melhorar a saúde geral das raças puras.


Em resumo, a percepção de que os cães sem raça definida são mais saudáveis em comparação com os cães de raça pura tem uma base sólida na diversidade genética e na seleção natural. No entanto, a saúde de qualquer cão depende de uma combinação de genética, cuidados e ambiente.


Portanto, é fundamental que todos os cães, independentemente de sua origem, recebam cuidados adequados para garantir uma vida longa e saudável.


Referências bibliográficas


Boge, Gudrun & Moldal, Elena & Dimopoulou, Maria & Skjerve, Eystein & Bergström, Annika. (2020). Correction to: Breed susceptibility for common surgically treated orthopaedic diseases in 12 dog breeds. Acta Veterinaria Scandinavica. 62. 10.1186/s13028-020-0507-8.

Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta presencial ou consultoria on-line por vídeo pelo whatsapp (11)91258-5102.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Os comentários foram desativados.

Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page