top of page

TPLO bilateral em cães

A Osteotomia de Nivelamento do Platô Tibial (TPLO) é uma técnica cirúrgica avançada frequentemente utilizada para tratar a ruptura do ligamento cruzado cranial (LCCr) em cães.



Esta condição ortopédica é uma das mais comuns em cães e pode levar a dor significativa e incapacidade se não tratada adequadamente.


Quando a ruptura do LCCr ocorre em ambas as pernas, o procedimento é conhecido como TPLO bilateral, um tratamento desafiador que requer uma abordagem meticulosa e um planejamento cuidadoso para garantir a recuperação e a qualidade de vida do animal.


A ruptura do ligamento cruzado cranial resulta em instabilidade no joelho, levando a dor e à progressão da osteoartrite. O TPLO é projetado para alterar a biomecânica do joelho, eliminando a necessidade do ligamento cruzado cranial.


Durante o procedimento, o cirurgião ortopédico veterinário faz um corte circular na tíbia e rota essa parte do osso para mudar o ângulo do platô tibial. Isso estabiliza o joelho ao permitir que a força do quadríceps passe diretamente através da tíbia, em vez de depender do LCCr para estabilidade.


Quando um cão necessita de uma TPLO bilateral, as complicações e os desafios são amplificados. A decisão de realizar a cirurgia em ambas as pernas simultaneamente ou em sessões separadas depende de vários fatores, incluindo a saúde geral do cão, a gravidade da instabilidade em cada joelho e a capacidade do tutor de cuidar do animal durante o período de recuperação.


Realizar a TPLO em ambas as pernas ao mesmo tempo pode ser vantajoso em termos de recuperação geral e tempo de reabilitação. No entanto, isso requer uma cuidadosa consideração da capacidade do cão de se locomover durante as primeiras semanas pós-cirúrgicas, quando ambos os joelhos estarão em um estágio crítico de cicatrização. O manejo da dor é uma parte crucial do pós-operatório, pois a dor inadequadamente controlada pode dificultar a recuperação e aumentar o risco de complicações.


Se a decisão for realizar a TPLO bilateral em duas etapas separadas, o intervalo entre as cirurgias deve ser planejado de forma que o cão tenha tempo suficiente para recuperar-se adequadamente da primeira cirurgia antes de enfrentar a segunda. Isso pode significar semanas ou meses entre os procedimentos, durante os quais a reabilitação física é essencial para fortalecer a perna operada e preparar o animal para a próxima cirurgia.


Independentemente do método escolhido, a recuperação de uma TPLO bilateral é intensiva e requer um compromisso significativo por parte do proprietário. Imediatamente após a cirurgia, o cão deve ser mantido em um ambiente controlado para limitar a atividade física e prevenir lesões adicionais. O repouso em uma área confinada, o uso de suportes ou suspensórios para ajudar na locomoção e a adesão estrita às recomendações do veterinário são essenciais.


A fisioterapia desempenha um papel vital na recuperação, ajudando a restaurar a força muscular e a mobilidade das articulações. Exercícios de baixo impacto, como caminhadas controladas e hidroterapia, são frequentemente recomendados para melhorar a função articular sem sobrecarregar os joelhos em recuperação. O acompanhamento regular com o veterinário é fundamental para monitorar o progresso do cão e ajustar o plano de reabilitação conforme necessário.


Os resultados a longo prazo de uma TPLO bilateral geralmente são positivos, com muitos cães retornando a níveis normais ou quase normais de atividade física. No entanto, o sucesso do procedimento depende muito da adesão ao regime de recuperação e da qualidade dos cuidados pós-operatórios. A intervenção precoce e o manejo adequado da condição podem minimizar a progressão da osteoartrite e melhorar significativamente a qualidade de vida do cão.


Em suma, a TPLO bilateral é um procedimento complexo que oferece uma solução eficaz para cães com ruptura do ligamento cruzado cranial em ambas as pernas. Embora a recuperação seja desafiadora e demande um compromisso considerável, os benefícios potenciais em termos de alívio da dor e restauração da função são significativos.


Os proprietários devem trabalhar em estreita colaboração com seus veterinários para desenvolver um plano de tratamento e recuperação que maximize as chances de um resultado bem-sucedido, garantindo que seus cães possam desfrutar de uma vida ativa e confortável.


Sobre o autor


Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page