top of page

Luxação lateral de patela em cães

A luxação lateral de patela, também conhecida como deslocamento lateral da patela, é uma condição ortopédica em cães que pode causar dor, claudicação e, em casos graves, incapacidade locomotora.


A patela, ou a "rótula", é um pequeno osso localizado no joelho, que desliza acima da tróclea do fêmur durante o movimento, permitindo a extensão da perna do cão. Quando a patela sai do seu local correto, ocorre a luxação, que pode ser medial (mais comum) ou lateral.

Embora a luxação medial da patela seja mais frequente em cães, a luxação lateral é particularmente significativa e muitas vezes mais grave, tendo um impacto notável na qualidade de vida do animal. A etiologia da luxação lateral de patela em cães pode ser multifatorial. Em muitos casos, a condição tem uma base genética, especialmente em raças predispostas. A formação anormal dos ossos do joelho, músculos, tendões ou ligamentos que não se desenvolvem corretamente pode levar à luxação. Além disso, traumas ou acidentes também podem causar ou agravar essa condição.

Algumas raças de cães são mais predispostas a desenvolver luxação lateral de patela, incluindo raças grandes como o Labrador Retriever, o Golden Retriever e o Akita. Isso é um contraste com a luxação medial, que é mais comum em raças pequenas e miniatura. A incidência em raças grandes pode estar ligada às particularidades da conformação física desses animais, que impõem estresses diferentes nas suas articulações quando comparado a raças menores.

O diagnóstico de luxação lateral de patela é geralmente realizado através de um exame físico detalhado pelo veterinário, que inclui a manipulação cuidadosa do joelho do cão para avaliar a estabilidade da patela. Radiografias podem ser usadas para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau da luxação e o estado geral das articulações e tecidos circundantes.

O tratamento para a luxação lateral de patela depende da gravidade do caso. Em casos leves, onde a patela apenas ocasionalmente sai da tróclea, o tratamento pode ser conservador. Isso geralmente inclui a administração de medicamentos anti-inflamatórios para reduzir a dor e a inflamação, além de fisioterapia para fortalecer os músculos ao redor do joelho e melhorar a mobilidade. Também podem ser recomendadas mudanças no estilo de vida do animal, como a manutenção de um peso saudável para reduzir a pressão sobre as articulações.

Nos casos mais graves, onde há luxação frequente ou permanente, ou quando a qualidade de vida do animal está significativamente comprometida, pode ser necessário um tratamento cirúrgico.

Em resumo, a luxação lateral de patela em cães é uma condição que requer atenção imediata. O entendimento sobre a predisposição de certas raças, juntamente com um diagnóstico preciso e tratamento apropriado, pode ajudar a gerenciar a condição, melhorando significativamente a qualidade de vida dos animais afetados.


Referências bibliográficas


Kalff, S & Butterworth, S & Miller, A & Keeley, Ben & Baines, Stephen & McKee, W. (2014). Lateral patellar luxation in dogs: A retrospective study of 65 dogs. Veterinary and comparative orthopaedics and traumatology : V.C.O.T. 27. 10.3415/VCOT-13-05-0064.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta presencial ou consultoria on-line pelo whatsapp (11)91258-5102.

21 visualizações0 comentário

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page