top of page

Luxação de patela em cães da raça Spitz Alemão

Atualizado: 23 de jan.

A luxação de patela é uma condição ortopédica que pode afetar cães de várias raças, incluindo o Spitz Alemão. Também conhecida como deslocamento ou luxação da patela, essa condição ocorre quando a rótula, o osso localizado na parte frontal do joelho, sai da posição normal. Em cães da raça Spitz Alemão, essa condição pode ser mais prevalente devido à sua conformação física, embora ela possa afetar qualquer raça.


Os cães com luxação de patela podem apresentar diferentes graus de gravidade, classificados de acordo com a facilidade com que a rótula sai do lugar e se ela retorna espontaneamente. Essa condição é classificada em quatro graus, sendo o grau I o mais leve e o grau IV o mais grave.


Entre os fatores predisponentes para a luxação de patela em cães, estão a genética, a conformação anatômica e o desenvolvimento inadequado dos ossos e músculos ao redor do joelho. No caso dos Spitz Alemães, que são conhecidos por sua estrutura corporal compacta e patas pequenas, esses fatores podem desempenhar um papel importante no desenvolvimento da condição.


Os sintomas da luxação de patela em cães da raça Spitz Alemão podem variar. Alguns dos sinais mais comuns incluem claudicação intermitente, ou seja, mancar ocasionalmente, dificuldade em movimentar a perna afetada, sensibilidade ao toque na região do joelho, inchaço e desconforto. Em casos mais graves, o cão pode até mesmo demonstrar dificuldade em apoiar a perna, levando a uma marcha anormal.


O diagnóstico da luxação de patela em Spitz Alemão é geralmente feito por um veterinário com base na história clínica, exame físico e, em alguns casos, exames de imagem, como radiografias. O tratamento pode variar de acordo com a gravidade da condição, mas muitas vezes inclui a administração de medicamentos anti-inflamatórios, fisioterapia e, em casos mais graves, cirurgia corretiva.


A cirurgia é frequentemente recomendada para casos de luxação de patela de grau II, III e IV, onde há um risco significativo de complicações a longo prazo, como a degeneração da articulação do joelho e a predisposição à osteoartrite. O procedimento cirúrgico visa reposicionar a patela e estabilizar a articulação para evitar futuros deslocamentos.


A prevenção da luxação de patela em Spitz Alemães e outras raças pode incluir a manutenção de um peso corporal saudável, exercícios regulares para fortalecimento muscular, uma dieta equilibrada e visitas regulares ao veterinário para monitorar a saúde ortopédica do cão.


Em resumo, a luxação de patela é uma condição ortopédica que pode afetar cães da raça Spitz Alemão, sendo importante estar atento aos sinais e sintomas para buscar tratamento adequado o mais cedo possível. A colaboração entre os tutores e os veterinários é essencial para garantir o bem-estar e a qualidade de vida desses animais de estimação.


Referências bibliográficas


1. LaFond, Elizabeth & Breur, Gert & Austin, Connie. (2002). Breed Susceptibility for Developmental Orthopedic Diseases in Dogs. Journal of the American Animal Hospital Association. 38. 467-77. 10.5326/0380467.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

675 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page