top of page

Escada ou rampa para cães subirem na cama e no sofá: O que é melhor?

Quando se trata de escolher entre uma rampa e uma escadinha para ajudar cães a subir no sofá ou na cama, é fundamental considerar diversos aspectos anatômicos e biomecânicos para garantir a segurança e o bem-estar dos animais.

Ambos os dispositivos têm o objetivo de facilitar o acesso a áreas elevadas, reduzindo o impacto nas articulações e na coluna vertebral dos cães, mas suas características e aplicabilidades podem variar de acordo com a condição física e as necessidades individuais do animal.


Uma rampa para cães oferece uma superfície inclinada que permite ao cão subir gradualmente, reduzindo a necessidade de carga nos membros pélvicos. A escada para cães pode ser especialmente benéfico para cães idosos, com problemas de mobilidade ou condições ortopédicas pré-existentes, como artrite ou a displasia coxofemoral.


Ao utilizar uma rampa, o cão pode manter uma postura mais natural e estável, distribuindo o peso de forma mais uniforme ao longo de suas patas e minimizando o impacto sobre as articulações.


Por outro lado, uma escadinha consiste em uma série de degraus individuais que o cão precisa subir um de cada vez. Embora isso possa parecer uma opção simples, é importante considerar a altura dos degraus e o espaçamento entre eles para garantir que o cão possa subir confortavelmente sem esforço excessivo. Escadinhas com degraus muito altos ou muito estreitos podem exigir que o cão faça esforços extras para levantar as pernas, o que pode aumentar o risco de lesões musculares ou articulares, especialmente em cães com problemas de mobilidade.

Além disso, a estabilidade e a segurança do dispositivo também são fatores críticos a serem considerados. Tanto as rampas quanto as escadinhas devem ser firmemente fixadas ao chão ou ao móvel para evitar deslizamentos ou movimentos durante o uso. Uma escadinha instável pode representar um risco de queda para o cão, enquanto uma rampa mal projetada pode ceder sob o peso do animal.


Ao decidir entre uma rampa e uma escadinha, é essencial avaliar as necessidades específicas do cão, sua condição física e sua capacidade de adaptação ao dispositivo. Em alguns casos, uma combinação de ambos os métodos pode ser a solução ideal, permitindo ao cão alternar entre rampa e escadinha conforme sua preferência e conforto.

Além disso, é importante ressaltar que o uso de qualquer dispositivo de assistência deve ser introduzido gradualmente e acompanhado de treinamento positivo para que o cão se sinta confortável e confiante ao utilizá-lo. Supervisão adequada e monitoramento contínuo são essenciais para garantir a segurança e o bem-estar do animal.

Em suma, tanto as rampas quanto as escadinhas podem ser ferramentas valiosas para ajudar cães a subir no sofá ou na cama com segurança e conforto. A escolha entre os dois depende de uma variedade de fatores, incluindo a condição física do cão, sua capacidade de adaptação e as características específicas do ambiente.


Em última análise, o objetivo é proporcionar ao cão uma maneira segura e eficaz de acessar áreas elevadas, minimizando o estresse e o impacto nas articulações e na coluna vertebral.


Referências bibliográficas


Durant, A & Millis, Darryl & Headrick, J. (2011). Kinematics of stair ascent in healthy dogs. Veterinary and comparative orthopaedics and traumatology : V.C.O.T. 24. 99-105. 10.3415/VCOT-10-03-0038.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta presencial ou consultoria on-line pelo whatsapp (11)91258-5102.

46 visualizações0 comentário

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page