top of page

Doença do compartimento medial do cotovelo em cães

Atualizado: 23 de jan.

A doença do compartimento medial do cotovelo é uma condição que acomete cães jovens, especialmente de raças grandes, e é caracterizada por uma combinação de lesões nos tecidos moles, cartilagem e ossos do cotovelo.


A DCCM é uma causa comum de claudicação crônica em cães, podendo levar a osteoartrite do cotovelo se não for tratada adequadamente.


Acredita-se que a causa da DCCM inclua fatores genéticos, nutricionais e mecânicos estão envolvidos no seu desenvolvimento. Cães de raças grandes, como o Pastor Alemão, o Golden Retriever e o Labrador Retriever, tem uma predisposição maior para a doença.


A doença do compartimento medial do cotovelo (DCCM) não é a mesma coisa que a displasia do cotovelo, mas as duas condições estão relacionadas. A DCCM pode ser uma das consequências da displasia do cotovelo, que é uma condição hereditária que afeta a articulação do cotovelo em cães. A displasia do cotovelo pode levar a várias formas de osteoartrite do cotovelo, incluindo a DCCM.


A DCCM é uma condição em que há um acúmulo excessivo de líquido sinovial na articulação do cotovelo, levando ao aumento da pressão dentro do compartimento medial do cotovelo.


Os sintomas da DCCM incluem claudicação, dor e rigidez no cotovelo afetado, bem como atrofia muscular. O diagnóstico pode ser feito por meio de exames clínicos, radiografias e tomografia computadorizada.


Além disso, uma artroscopia pode ser necessária para avaliar a extensão das lesões no interior do compartimento medial do cotovelo.


O tratamento da DCCM pode envolver uma combinação de fisioterapia, medicamentos e cirurgia. A fisioterapia pode ajudar a fortalecer os músculos do cotovelo e reduzir a dor e a inflamação. Medicamentos, como analgésicos e anti-inflamatórios, podem ser prescritos para aliviar a dor e a inflamação.


A cirurgia é frequentemente recomendada para cães com DCCM avançada, incluindo a abertura do compartimento medial do cotovelo, remoção de tecido cicatricial e cartilagem danificada, e estabilização da articulação do cotovelo. O sucesso do tratamento dependerá da gravidade da condição e do tratamento precoce e adequado.


A prevenção é difícil, mas o controle do peso e a prevenção de lesões musculoesqueléticas podem ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento da DCCM.


Referências bibliográficas


Cook, J. L., Evans, R., Conzemius, M. G., & Lascelles, B. D. X. (2010). Proposed definitions and criteria for reporting the diagnosis of canine elbow dysplasia, traumatic injury, and osteoarthritis. Veterinary Surgery, 39(8), 967-978.


Sobre o autor

Felipe Garofallo é médico-veterinário (CRMV/SP 39.972), especializado em ortopedia e neurocirurgia de cães e gatos e proprietário da empresa Ortho for Pets: Ortopedia Veterinária e Especialidades. Agende uma consulta pelo whatsapp (11)91258-5102.

407 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Que tal receber grátis mais artigos incríveis como esse?

Obrigado(a)!

bottom of page