Sarcoma de Tecidos Moles em Cães e Gatos

Atualizado: Abr 18



O que é o um sarcoma de tecidos moles?


Um sarcoma de tecidos moles é um câncer em qualquer região de tecido conjuntivo. Esse tecido é o responsável pela construção do esqueleto e inclui músculos, ossos, tendões, ligamentos, vasos sanguíneos e nervos.


Os sarcomas são classificados de acordo com seu tecido original, por exemplo, o osteossarcoma é um tecido ósseo, o fibrossarcoma é um tumor de tecido fibroso, o hemangiossarcoma é um tumor das paredes dos vasos sanguíneos e o sarcoma de células sinoviais é um tumor da sinóvia ou tecido articular.


Muitos sarcomas, especialmente aqueles que crescem logo abaixo da pele (tumores subcutâneos), são classificados pelos oncologistas em um grande grupo, e são chamados sarcomas de tecidos moles, porque apesar de terem tecidos sutilmente diferentes, eles se comportam de maneira muito semelhante em termos de crescimento, disseminação e resposta ao tratamento.


Como são classificados os sarcomas de tecidos moles?


Os sarcomas são normalmente classificados em graus 1, 2 ou 3. Isso é determinado pela aparência do câncer ao microscópio. O patologista que examina o tecido está procurando características como a rapidez com que as células estão se dividindo, quão bem organizadas ou desorganizadas elas aparecem na amostra e se há alguma evidência de células cancerosas crescendo ou ocupando minúsculos vasos sanguíneos na massa, e como isso pode estar relacionado a uma maior chance de propagação, agora ou no futuro.


Todos os sarcomas são malignos (ou seja, têm potencial para se espalhar), mas o risco aumenta com a graduação. O grau 1 é o menos agressivo, com a menor chance de propagação e possivelmente uma menor chance de crescimento ou recorrência após cirurgia ou radioterapia. O grau 3 é o mais maligno com a maior chance de disseminação e também as células de divisão mais rápida e células invasivas, o que pode tornar o tratamento do tumor original ("primário") mais desafiador. As classes 1, 2 e 3 também são às vezes chamadas de grau baixo, intermediário e alto.


Como identificar um sarcoma de tecidos moles?


Um sarcoma é, antes de mais nada, uma massa, um tumor. Quando os sarcomas se desenvolvem sob a pele, eles podem ter a aparência de caroços macios, moles e gordurosos e, na verdade, muitos são confundidos com tumores gordurosos inofensivos benignos (lipomas).


Essa é uma causa comum para o retardo do diagnóstico de sarcoma de tecidos moles, o que pode afetar as opções de tratamento e o resultado. Sarcomas sob a pele são normalmente indolores e a pele com pêlos geralmente se move livremente sobre a massa.


O aumento de volume pode ser móvel sob a pele ou pode estar preso a tecidos mais profundos, tornando-o imóvel. Quando os sarcomas se desenvolvem nos nervos, ossos e articulações, freqüentemente causam dor ao animal, e isso pode se manifestar como perda muscular, claudicação, relutância para exercícios ou brincadeiras e, às vezes, mudanças de comportamento devido à massa que causa desconforto.


Como é feito o diagnóstico do sarcoma de tecidos moles?


O veterinário deve, em primeiro lugar, examinar o animal e o aumento de volume. Ele sentirá a massa, e determinará se ela é móvel ou fixa e irá medir o diâmetro e registrar no prontuário do seu animal de estimação para referência e comparação futura.


A próxima etapa para o diagnóstico é realizada através do exame de citologia aspirativa, através do uso de uma agulha e seringa (agulha do mesmo tamanho ou menor que a usada para aplicar as vacinas) para sugar algumas células e colocá-las em uma lâmina de microscópio para o patologista examinar.


É provável que um diagnóstico possa ser feito a partir desse único teste, mas, em alguns casos, pode ser necessário fazer uma biópsia maior do tecido. Essas biópsias costumam ser feitas sob sedação com anestésico local para anestesiar a área ou, às vezes, com anestesia total leve.


Assim que o seu veterinário fizer o diagnóstico, ele falará com você sobre como fazer a pesquisa de metástase, ou seja, certificar-se de que não há sinais de disseminação dentro do corpo.


Isso normalmente é feito com uma combinação de raios-x, ultrassom e, em alguns casos, uma tomografia computadorizada, que permite ao radiologista examinar áreas do corpo, incluindo crânio, pulmões e abdômen, em busca de quaisquer sinais iniciais de disseminação do câncer. A TC do tumor em si também permite que o cirurgião oncologista planeje com precisão a cirurgia para garantir que ela seja realizada com sucesso.


Como é realizado o tratamento dos sarcomas de tecidos moles?


O tratamento do sarcoma depende da origem exata do tumor. As opções de tratamento para osteossarcomas e tumores ósseos, são abordadas na página de osteossarcoma em do site.


Na terapia veterinária moderna do câncer, três tipos principais de tratamento às vezes são usados; cirurgia do câncer, quimioterapia e radioterapia (poderosos feixes de raios-x que danificam as células cancerosas). A maioria dos sarcomas de tecidos moles é tratada por cirurgia, exclusivamente ou em combinação com uma ou duas das outras terapias.


A cirurgia do câncer para sarcomas de partes moles tem como objetivo ideal remover o aumento de volume visível e todas as extensões invisíveis do câncer que não podem ser vistas ou sentidas. Às vezes, a TC ajuda o cirurgião a identificar a distância que se estende da massa e quanto de tecido normal ("a famosa margem") precisa ser removido além da massa para obter uma região de ferida livre de tumor.


Algumas feridas cirúrgicas podem ser fechadas com bastante facilidade, mas ocasionalmente com tumores maiores, um retalho de pele ou enxerto de pele pode ser necessário para ajudar a cobrir o defeito. Esta é outra razão pela qual a detecção precoce de um tumor é tão importante, já que a cirurgia necessária para alcançar um bom resultado pode ser menor.


A radiação em animais de estimação é muito semelhante à das pessoas, exceto em nossos animais, eles precisam estar sob anestesia leve durante o tratamento para que fiquem imóveis.


Qual o prognóstico dos sarcomas de tecidos moles?


De modo geral, as perspectivas após o tratamento para sarcomas de tecidos moles são melhores do que se temia, principalmente tendo em mente que se trata de um câncer maligno. Para sarcomas de tecidos moles de grau 1 e 2 de tamanho médio, tratados com cirurgia e possivelmente radioterapia, aproximadamente três quartos dos pacientes terão sobrevida três anos depois.


Para os tumores mais malignos, os de grau 3, infelizmente, menos da metade tem sobrevida três anos após o diagnóstico.


Referências


Silveira, Matheus & Bonel, Josiane & Pereira, Simone & Fernandes, Cristina. (2014). Sarcomas de tecidos moles em caninos e felinos: aspectos epidemiológicos e patológicos. Revista Academica Ciências Agrarias e Ambientais. 12. 157. 10.7213/academica.12.03.AO01.